diHITT - Notícias O Reino dos Bichos: Junho 2010 BlogBlogs.Com.Br

terça-feira, 29 de junho de 2010

Lontras

A lontra é um animal mamífero da sub-família Lutrinae, pertencente à ordem carnívora e à família dos mustelídeos.

A lontra tem  um pescoço reduzido, embora largo,  e  uns olhos pequenos e vivos ladeados por duas pequenas orelhas. O focinho apresenta longos pêlos sensoriais - as vibrissas. A cauda é  longa, espessa sendo achatada na base e a afunilar suavemente até à ponta, constitui o principal órgão propulsor quando se movimenta dentro de água, servindo simultaneamente de leme. As patas são curtas e vigorosas, com cinco dedos unidos por uma membrana interdigital, o que propicia uma natação rápida e vigorosa. O pêlo é de cor castanha escura em quase todo o corpo, à exceção da região do ventre, que é mais clara. Possui por vezes uma mancha clara (creme ou mesmo branca), por debaixo do queixo e que se pode estender até à garganta. Esta pelagem, espessa e sedosa, é constituída por duas camadas de pêlos, a mais externa responsável pela impermeabilização e a mais interna pelo isolamento térmico.  Quando nada, a posição elevada das narinas e dos olhos permite-lhe manter-se à superfície sem ser notada. Quando mergulha, os ouvidos e as fossas nasais são fechados hermeticamente, e ajusta a  curvatura do cristalino, o que lhe permite a visualização de imagens focadas dentro e fora de água. Vive na margem dos rios, onde a existência de vegetação lhe permita construir abrigos. Muitas vezes aproveita tocas abandonadas por outros animais, ou refugia-se em troncos velhos ou nas raízes das grandes árvores. Cria um sistema de galerias com várias entradas, umas subaquáticas e outras ao nível do solo. O macho mede em média 120 cm e pesa entre nove e 14 kg, sendo a fêmea ligeiramente menor e mais leve.
A lontra é uns animais essencialmente noturnos ou crepusculares, silenciosos e de difícil observação. Alimenta-se, sobretudo de peixe, embora também possa consumir anfíbios, répteis, aves aquáticas, mamíferos, insetos e crustáceos. 

Vive na Europa, Ásia, África, porção sul da América do Norte e ao longo de toda a América do Sul, incluindo o Brasil e a Argentina. Seu habitat é no litoral ou próximo aos rios onde busca alimentos como peixes, crustáceos, répteis e menos freqüentemente aves e pequenos mamíferos.
Geralmente a lontra tem hábitos noturnos, dormindo de dia na margem do rio e acordando de noite para buscar alimento. Os grupos sociais são formados pelas fêmeas e seus filhotes, os machos não vivem em grupos e só se junta a uma fêmea na época de acasalamento. O período de gestação da lontra é de cerca de 2 meses e ao fim nascem de 1 a 5 filhotes.

Pode reproduzir-se durante todo o ano, mas acasala, sobretudo na Primavera e no final do Inverno.
Vive entre seis a oito anos, não se lhe conhecendo predadores. A redução da sua população deve-se sobretudo à poluição das águas e à destruição dos seus habitates naturais.
 
A lontra adulta mede de 55 a 120 centímetros de comprimento (incluindo a cauda) e pesa até 35 quilos. Embora sua carne não seja comercializada em larga escala a lontra faz parte da lista de animais ameaçados de extinção principalmente pelo alto valor da sua pele e pela depredação dos ecossistemas aos quais a lontra está adaptada.
Esse animal possui uma pelagem com duas camadas, uma externa e impermeável e outra interna usada para o isolamento térmico. O corpo por sua vez é hidrodinâmico, preparado para nadar em alta velocidade.
Embora seja um animal carnívoro e normalmente selvagem, a lontra é dócil e gosta de brincar com as pessoas, sendo que muitas vezes é possível domesticá-la.
A lontra é capaz de assobiar, chiar e guinchar. Pode ficar submersa durante 6 minutos e ao nadar pode alcançar a velocidade de 12 km/h.

Espécies

  • Lutra lutra (Linnaeus, 1758) - Lontra Européia
  • Lontra longicaudis (Olfers, 1818) - América do Norte, América Central e na América do Sul ela vive especificamente em minas no triangulo mineiro mas ela também ocorre em toda América do sul,e do Norte do México ao Uruguai.
  • Lontra canadensis (Schreber, 1777) - América do Norte, no Canadá
Sinonimias:
  • Lontra platensis (Waterhouse, 1838)
  • Lontra annectens
  • Lontra enudris
  • Lontra incarum
Continue Reading...

Cervo do Pantanal


É o maior cervídeo da América do Sul. Pesa em média 100kg, mas alguns indivíduos adultos podem ultrapassar 150kg. Está ameaçado de extinção devido a:
a caça ilegal;
a destruição de seu habitat em decorrência das construções de usinas hidrelétricas e de projetos de irrigação;
as doenças introduzidas por animais domésticos como a febre aftosa e brucelose.
O cervo-do-pantanal é característico de áreas inundáveis e de varjões de cerrado, onde se alimenta de capim e plantas palustres (Goeldi, 1893). Segundo Coimbra/Filho (1972), este cervídeo se alimenta de brotos de plantas de diversas famílias, especialmente leguminosas. A adaptação deste animal ao meio alagável pode ser constatada pela presença de membranas que unem seus dedos, o que facilita a locomoção dentro d'água.
Na natureza é comumente observado em pequenos grupos familiares e casais, mas indivíduos solitários são freqüentes (Crabrera e Yepes, 1960). Alguns pesquisadores explicam que o cervo-do-pantanal vive em pequenos grupos sociais porque foi pressionado pelo processo de caça histórica e/ou pelo fato dos habitats da espécie estarem sujeitos a severas inundações sazonais. Isto faz com que os cervos utilizem áreas mais altas durante as cheias, onde a capacidade de suporte é limitada. Assim, grandes grupos não podem ser formados.

 
Os cascos desse animal podem ficar completamente abertos e as duas metades em que eles se dividem se mantêm unidas por uma membrana interdigital. Esses cascos evitam que o animal afunde no lodo. O cervo-do-Pantanal tem uma galhada bifurcada, com cinco pontas em cada haste. É muito arisco e esconde-se durante o dia. À noite, vai para as clareiras em grupos de cinco ou mais para alimentar-se de capim, juncos e plantas aquáticas. O cervo freqüentemente entra na água. Os machos, ao contrário da maioria dos outros antílopes, não lutam pela posse das fêmeas.

Embora sua carne não sirva para comer, o cervo-do-Pantanal é caçado por causa do seu couro e da galhada. Os índios da América do Sul preparam vários tipos de remédio com a galhada do cervo-do-Pantanal, desde uma "poção do amor"até uma mistura par facilitar o parto.
 

O cervo-do-pantanal ocorria originalmente desde o Uruguai e norte da Argentina até os Estados brasileiros do Amazonas, Bahia, Goiás e Pará, sempre ao sul do rio Amazonas. Atualmente, sua população está restrita ao Pantanal (onde são encontrados em maior número) e à Ilha do Bananal. Pequenas ilhas de população foram identificadas (Tomás,1992) no norte de Mato Grosso, no sul do Pará, Tocantins, sudoeste de Goiás e na Bacia do rio Paraná. No Rio Grande do Sul foi constatada uma última população residual (Tomás,1992), a qual pode estar extinta atualmente.
Pesquisadores da Embrapa Pantanal (Corumbá, MS) se encontram na etapa final do diagnóstico de campo que dará suporte para a elaboração de um Plano de Conservação para as populações de cervos-do-pantanal, espécie em situação crítica no Estado de São Paulo e ameaçada de extinção em todo o País. O trabalho está sendo realizado nas áreas de influência do reservatório da Usina Hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta (Porto Primavera), na divisa entre os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, e conta com a participação da Companhia Energética de São Paulo (CESP), concessionária do empreendimento.
q
O levantamento, feito com helicóptero, visa estimar o tamanho da população remanescente de cervos na região, as densidades populacionais dessa espécie nas diferentes áreas de ocorrência e as condições de conservação dos ambientes onde vivem esses animais. Os dados ajudarão a formular um plano de conservação de longo prazo, que será coordenado por técnicos da CESP, que está comprometida com conservação do cervo-do-pantanal na região. Nessa etapa do trabalho está sendo realizado o segundo levantamento aéreo após o enchimento do reservatório.
Os pesquisadores Walfrido Tomás, doutorando em Gestão da Biodiversidade na Universidade de Kent, na Inglaterra, e Ubiratan Piovezan, Doutor em Ecologia pela UnB, ambos da Embrapa Pantanal, e Liliani Tiepolo, doutoranda em Zoologia no Museu Nacional do Rio de Janeiro, voaram 25 horas contando os cervos que sobrevivem nas várzeas remanescentes às margens do reservatório de Porto Primavera e seus afluentes (Rios Verde e Pardo, no Mato Grosso do Sul, e Aguapeí e Peixe, em São Paulo). A técnica utilizada é a mesma que a equipe de Fauna da Embrapa aplica no Pantanal, desde 1991, em levantamentos aéreos.


Estima-se que o conjunto de populações de cervos em toda a região do reservatório se situe entre 400 e 600 exemplares, já que inclui também os Rios do Peixe (SP) e Pardo (MS). As primeiras análises sugerem que essa população se manteve estável desde o último levantamento, feito em 2001.

Também foi constatada a existência de cervos-do-pantanal em áreas relativamente bem conservadas, nas várzeas dos Rios Inhanduí e Pardo, no Estado do Mato Grosso do Sul.

Além disso, a maior parte dos animais remanescentes se encontra em áreas legalmente protegidas, como o Parque Estadual do Aguapeí e as reservas particulares da foz do Aguapeí e da Fazenda Cisalpina, às margens dos Rios Verde e Paraná, que são de propriedade da Companhia Energética de São Paulo (CESP). Essas duas populações foram estimadas entre 300 e 500 cervos. Há ainda uma população de cerca de 1.500 cervos-do-pantanal abrigada no Parque Nacional de Ilha Grande, no Paraná, e no Parque Estadual das Várzeas do Ivinhema, no Mato Grosso do Sul, que também será incorporada ao Plano de Conservação.

“Apesar dessas boas notícias, os cervos ainda sofrem ameaças graves: as várzeas estão sendo degradadas por canais de drenagem e por assoreamento, além de intenso uso pecuário”, alerta o pesquisador da Embrapa Pantanal, Walfrido Tomás. Segundo ele, essas ameaças diminuem a disponibilidade de abrigo e alimentos para a espécie, e a caça ilegal ainda persiste nessa e em outras regiões dos estados pesquisados, especialmente quando os animais estão próximos de assentamentos ou cidades.

O Plano de Conservação, cuja conclusão está prevista para o segundo semestre de 2005, terá como foco a conservação do cervo-do-pantanal em seu próprio hábitat, nas várzeas remanescentes na região, e deverá formular propostas para eliminar ou reduzir essas ameaças. Deverão ser indicadas ações como a conservação e recuperação ambiental das várzeas, que abrigam não só os cervos, mas dezenas de outras espécies de mamíferos, aves e répteis, a educação ambiental nas cidades e reassentamentos populacionais próximos e a implantação de um sistema de monitoramento das populações de cervos. É essencial, entretanto, que sejam adotadas medidas urgentes de fiscalização para coibir a degradação ambiental e a caça, que poderão inviabilizar o Plano de Conservação e a própria sobrevivência do cervo na região.



Fonte:Saude Animal/Portal São Francisco/Ambiente Brasil
Continue Reading...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Rinoceronte Branco





rinoceronte-branco (Ceratotherium simum) é o maior e mais numeroso dos rinocerontes, família de mamíferos perissodáctilos. Difere-se do rinoceronte-negro não exatamente pela cor (ambas espécies são acinzentadas) e sim pelo formato de seus lábios.

Depois do elefante, é o maior mamífero terrestre, com 2 metros de altura, 5 metros de comprimento e 4 toneladas de peso. Tem dois chifres, dos quais o anterior mede até 1,50 m de comprimento.
Apesar do nome, sua pele é escura e lisa. A explicação para o nome de rinoceronte-branco, "white rhino" em inglês, é originária da África do Sul quando a língua afrikaans se desenvolveu a partir do holandês. A palavra do afrikaans "wyd" (derivada do holandês "wijd"), significa largo ou "wide" em inglês, referindo-se a boca larga do rinoceronte. Os primeiros colonizadores britânicos na região interpretaram a palavra "wyd" por "white". A partir de então, o rinoceronte da boca "larga" foi chamado de rinoceronte-branco, enquanto que o rinoceronte da boca "estreita" ou "narrow pointed", foi chamado de rinoceronte-negro. A boca "larga" é adaptada para comer grama rasteira, a boca "estreita" é adaptada para comer as folhas dos arbustos. Essa seria a explicação do nome do rinoceronte-branco ("white-rhino" em inglês).


Habitat

Ele habita nas zonas descampadas e planas da África, comparado às outras espécies, é pacato e inofensivo. Por causa das queimadas e da exploração de minérios na África esse habitat vem sendo reduzido, colocando em risco a sobrevivência da espécie.


Taxonomia

Existem duas subespécies:
  • Ceratotherium simum simun
  • Ceratotherium simum cottoni


População

Existem em torno de 8500 exemplares de Ceratotherium simum simun, ou rinoceronte-branco do sul, enquanto a subespécie Ceratotherium simum cottoni, o rinoceronte-branco do norte, conta com provavelmente menos de 30 espécimes.
Continue Reading...

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Diga não a Ignorância Ambiental!




 O Reino dos Bichos resolveu em conjunto com o site Reino Animal lançar uma campanha de conciêntização ambiental.
O nome dessa campanha é baseado em um comentario de uma amiga nossa "Amandaiab" uma frequentadora do famoso site Dihitt...
A campanha consiste em enviar o link sobre os blogs a amigos através de depoimentos e pedir para que estes amigos comentem a respeito do assunto O Homem conseguirá reverter os estragos que ele próprio causou ao meio ambiente?
Se a sua opinião for sim, explique como,dê a sua opinião a respeito,na pagina de ambos os blogs.
E coloque o banner do projeto no seu site ou blog como apoio e vamos juntos lutar por um mundo melhor.
A campanha terá um tempo para termino e juntos estaremos expondo as idéias em um evento conjunto entre todos os blogueiros envolvidos...com shows de bandas apoiadoras do Projeto.
Lys,Liquid Dookie,Versos e Jamirulus isso tudo com apoio de uma das maiores rádios de SP.
Continue Reading...

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Crueldade contra animais,até quando?

A crueldadecontra os animais continua acontecendo em todas as partes do mundo e de todas as formas possíveis e imagináveis.
Será que algum dia vamos nos conciêntizar dos atos cometidos contra seres tão frágeis?
Poderiamos passar meses falando sobre os diversos crimes cometidos contra animais todos os dias e mesmo assim não conseguiriamos expor todos.
É lamentavel,mas é a pura realidade.
Vamos citar alguns casos para se ter idéia do que estamos expondo aqui.
Em 11 de janeiro de 2010 foi registrado no site Canguçu em Foco um caso grave de descaso pela vida,um homem em plena madrugada e não se importando com as testemunhas do fato matou uma cadela com dois tiros quase em frente a ao Mercado Reneem Canguçu e se prestarmos atenção no fato veremos na foto que o seu companheiro segundo descreve o próprio site ficou ao seu lado até o meio dia do dia seguinte.
Uma cena sem dúvida nenhuma comovente.
Gostaria aqui de pedir licença ao Jornalista Robson Fernando do Observatório da Imprensa e citar aqui suas palavras postadas na reportagem do dia 23/02/2010
Não podemos mais deixar que o sofrimento, a exploração e a crueldade contra animais continuem sendo tratados como coisas inocentes, curiosas e engraçadas.
Teriamos aqui várias fotos para postar relatando maus tratos a animais,mas em respeito a estes animais não postaremos pois é cruel demais.
São filhotes em condições precárias,animais colocados em rinhas para que matem uns aos outros,treinados sem piedade para não demonstrar piedade,animais pegos filhotes e abandonados a própria sorte depois que atingem a idade adulta.
Animais de idade avançada cheios de doenças tratados como inconvenientes.
Nós temos de dar um basta nisto!
Como?
Denuncie.
A sua atitude pode salvar a vida destes animais.
 O site da APCCA da a dica do que fazer quando presenciar um ato criminoso contra algum animal e vamos postar aqui suas dicas:
Existem muitas coisas que você pode fazer caso suspeite que um animal esteja sendo vítima de atos de crueldade, por um conhecido ou por um estranho, mas, sem dúvida nenhuma, a mais importante é denunciar às autoridades. Via de regra, a denúncia pode ser feita em qualquer delegacia de polícia ou ainda diretamente ao Ministério Público. Algumas cidades contam com órgãos especiais para tratar de casos de crueldade contra animais, enquanto outras sequer contam com promotores ou delegacias de polícia ou pior, existe resistência dentro dos órgãos, e a autoridade se nega a oficializar o procedimento investigativo alegando não se tratar de crime ou não estar em sua esfera de atuação. Se você estiver em dúvida sobre quem deverá contatar, procure a filial da OAB mais próxima ou uma entidade de defesa dos direitos dos animais e pergunte sobre quem é o responsável pela investigação destes casos em sua comunidade.
Caso você esteja presenciando a prática de atos de crueldade ligue para o 190. Crueldade contra animais é CRIME e a polícia militar saberá deslocar policiais treinados para este tipo de situação.
A reincidência nestes crimes é a regra, não a exceção e muitas vezes a investigação sobre atos de crueldade acaba levando à descoberta de outros crimes, praticados contra seres humanos. Não é incomum policiais acharem evidencias de abuso doméstico, abandono de incapaz, drogas ou outras situações de perigo. Denunciar atos de crueldade contra animais pode salvar vidas humanas.
Quando é praticado um crime contra alguém que amamos somos varridos por uma enxurrada de emoções: raiva, mágoa, preocupação, nojo... O mesmo acontece quando nossos animais são as vítimas. O fato é que existem coisas que você pode fazer. A crueldade é CRIME e deve ser tratada como tal.
Não tente resolver a situação sozinho. As autoridades estão aí para ajudar e quanto mais cedo elas se envolverem no caso, melhor.
Montando o Caso
Muito embora você não deva tentar resolver a situação por conta própria, existem coisas que você pode fazer para ajudar. Na grande parte dos casos de crueldade, não existe uma prova incontestável que ligue o acusado ao fato. Não há flagrante, uma arma saindo fumaça na mão do suspeito, tudo pode ser contestado. A vitória dependerá da somatória das evidências apresentadas, então é muito importante reuni-las com cuidado.

Tire Fotos

Quando possível, tire fotos – com a função data ou com algo que mostre quando a foto foi tirada. Se você estiver encontrado dificuldade em fazer com que a polícia investigue um ato de crueldade, fotos claras e precisas podem fazer toda a diferença, convencendo-os sobre a necessidade de intervir.
Mas cuidado. Só tire fotos se não houver risco para você, se for seguro. Invadir propriedade particular para tirar fotos de possível abuso é perigoso e pode lhe causar problemas, inclusive legais. Existem casos específicos em que se permite a invasão e se você não estiver enquadrado, poderá ser processado e ainda ser proibido de usar as fotos como prova, já que foram ilegalmente obtidas.

Documente telefonemas, reclamações, etc.

Anote das datas e horários que você chamou as autoridades para atender o caso. Se você conversou com o suspeito, anote a data, hora, local e o que foi discutido. Caso ele tenha ameaçado você, seus familiares ou seus animais, inclua as ameaças em suas anotações, com data, horário e circunstâncias em que foram feitas.
Se você suspeita que haja rinha ou qualquer briga de animais em um local, anote data e horário em que observa grande número de pessoas entrando no lugar ou ainda um número de carros maior do que o normal estacionado nas redondezas, especialmente à noite e nos finais de semana.

Caso seu animal não sobreviva

Se, em decorrência do abuso, foi preciso intervenção de um médico veterinário, peça que seja feito um relatório especificando as lesões e suas causas, para juntar demais às provas. Caso seu animal não sobreviva ao abuso, peça ao seu veterinário para que seja feita a necropsia. Da mesma forma que nos casos de homicídio, a necropsia pode fornecer informações valiosas sobre as causas da morte e a extensão dos danos provocados. Estas informações são vitais à investigação e eventualmente ao processo contra o criminoso.

O seu blog animal deixa aqui sua indignação.


Fontes:APCCA/Canguçu em Foco/Observatório da Imprensa
Continue Reading...

sexta-feira, 4 de junho de 2010

A história dos Gatos


Você sabia que os gatos provavelmente tiveram o mesmo ancestral do cachorro? Acredita-se que o Miacis (imagem ao lado), um pequeno animal que vivia em árvores, há muito extinto, foi o antepassado do gato. Este seria também o ancestral do urso, da doninha, do guaxinim, da raposa e do coiote. Viveu há cerca de 40 milhões de anos, tinha o corpo comprido, um rabo maior do que o corpo e pernas curtas. Provavelmente também tinha unhas retráteis como o gato.
Há 10 milhões de anos atrás surgiu o Dinictis, mais parecido com o gato atual.
Os Felídeos ou felinos, são os mais especializados, mais numerosos e mais importantes dos carnívoros.A família dos Felídeos, espalhada sobre quase toda a área de distribuição da ordem dos carnívoros, compreende 3 gêneros: Acinonyx (Cheeta), Felis (Puma, Jaguatirica, Gatos domésticos e todos de pequeno ou médio porte) e Leo (Leão, Tigre, Pantera, Onça), com 37 espécies no conjunto.
Os gatos domésticos são primos distantes de outros felinos e guardam características em comum com os grandes felinos selvagens, como o caminhar silenciosa e delicadamente sobre as almofadas plantares, a técnica de caçar e as unhas retráteis, com exceção do Guepardo que tem as unhas e patas apropriadas para a corrida, chegando a alcançar 100Km por hora numa corrida de curta distância.

No Antigo Egito os gatos eram adorados devido a sua associação com a Deusa da Lua, Pasht, de cujo nome acredita-se ser derivada a palavra "puss", que significa "bichano" em inglês.A Deusa Bast, que representa o sol, também foi identificada com gatos, e é retratada com a cabeça de um gato.Quando os gatos morriam, eram mumificados e seus donos mostravam seus sentimentos raspando as sombrancelhas em sinal de luto.
Hoje, os gatos da raça Abissínio, são semelhantes ao gatos do Antigo Egito.Estátuas, desenhos e pinturas em tumbas, revelam que os gatos nessa época, eram de pelo curto, corpo esguio e pernas longas. Muitos consideram que este foi o ancestral da maioria das raças de gatos domésticos conhecidas atualmente.
Era proibida a saída dos gatos do Egito, mas o povo Fenício parece ter os levado em suas embarcações comerciais, para a Europa, por volta do ano 900 a.C., chegando à Itália antes da Era Cristã.
Os romanos, quando invadiram e dominaram o Egito, adotaram o culto a Deusa Bast e seus gatos foram também perpetuados em estátuas, murais e mosaicos. Tinham grande apreciação pelos gatos, e os retratavam como símbolo de liberdade.
OBs: Curiosidades
 Uma das mais incompreendidas características da vida egípcia é a veneração pelos gatos, cujos corpos mumificados têm sido encontrados aos milhares, inclusive em tumbas dos faraós. Umas das explicações é que como os antigos egípcios tinham o culto da morte+sobrevida e o gato, históricamente, tem sete vidas, havia uma indentificação com esse encontro no além.

Os gatos, no antigo Egito, tinham um grande significado, eram idolatrados como entidades e a deusa Bastet é uma mostra desse fascínio que os gatos exerciam no
imaginário desses povos.
 Quando os gregos chegaram no Egito, eles associaram Bastet com Artemis e ela deixou de ser a deusa do sol para ser a deusa da lua.
Com o tempo, ela também perdeu sua cabeça original de gato selvagem e ganhou a cabeça de um gato doméstico. Os gatos eram muito importantes para os egípcios, porque protegiam os grãos dos animais daninhos, e acreditava-se que Bastet os protegia. Quem matasse um gato era punido com a morte. Quando os gatos morriam, as famílias raspavam a sobrancelha, em sinal de luto e, no mais das vezes, seus gatos eram mumificados.

O gato moderno, o último animal domesticado pelo homem, descende do Felis lybica, um gato selvagem do Norte da África. Os gatos são errantes e misteriosas criaturas da noite. O gato é um animal cercado de mistérios. Os egípcios consideravam os gatos, guardiães do submundo --ou mundo dos mortos. Devido a estas crenças, imagens, estátuas e até múmias de gatos são encontradas dentro das pirâmides, utilizadas para a proteção espiritual do local e de seus habitantes. Os gatos habitam o oculto, isto é, o “escondido”. Mas também adora ver e e ser visto; é um espectador do drama da vida, divertido, condescendente. É um narcisista -- como os faráos que mandavam construir três quatro estátuas iguais, de si próprios -- e as colocavam em fila. Os gatos têm um senso de composição pictórica: colocam-se simetricamente em cadeiras, tapetes e, até mesmo, numa folha de papel no chão.

Com as invasões Romanas, os gatos foram seguindo seus exércitos e se introduzindo em toda a Europa.Dessa forma os gatos chegaram à Inglaterra, portanto, o gato inglês tem como base o gato egípcio, mas gatos ingleses selvagens também foram domesticados.
O Príncipe de Gales, promulgou no século X, leis protegendo os gatos, estabelecendo valores de venda e garantias de compra. Além disso, a pena para quem matasse um gato era paga com trigo: o ga to morto era segurado pela ponta da cauda e sobre ele era jogado o trigo, até encobrir a ponta da cauda. Os gatos, durante muito tempo, foram bem aceitos pelo homem como animais domésticos, por sua beleza e grande habilidade em caçar ratos. Exatamente por sua habilidade como caçador de ratos, no século XI auxiliavam no combate a estes vetores, transmissores da Peste Bulbônica.
Na Idade Média, os gatos enfrentariam seus piores tempos. Surgiu um culto a uma deusa pagã - Freya - envolvendo gatos. Esse culto foi considerado heresia e membros desta seita eram punidos severamente com torturas e morte. Como os gatos faziam parte do culto, foram acusados de serem demoníacos, principalmente os de cor preta. Isso custou a vida de milhares de gatos, que foram cruelmente perseguidos, capturados e jogados à fogueira, havendo a maior destruição de gatos de toda a história.
Uma pessoa que fosse vista ajudando um gato, principalmente gatos pretos, estava sujeita a ser denunciada como bruxa e a sofrer tortura e morte.As pessoas acusadas de bruxaria e seus gatos, eram logo responsabilizadas por qualquer catástrofe que acontecesse.Esta onda de perseguição criou diversas superstições que persistem até hoje, como: cruzar com gato preto causa azar. Felizmente este preconceito terminou e no século XIX o gato já era bem-visto.O índio norte-americano, não parece ter domesticado os felinos selvagens presentes no continente, como o lince, puma e ocelote. A domesticação de felinos só ocorreu quando os imigrantes europeus trouxeram gatos da Europa, para que ajudassem a combater os ratos e camundongos, tanto no campo quanto na cidade.

Uma espécie interessante de gato: O gato Norueguês da Floresta

Este gato de cauda longa e peluda tem um tamanho médio, sendo o seu corpo bem constituído. Há gatos de bastantes cores como vermelhos, azuis, pretos, etc. Sabe-se que o já existia no tempo dos Vikings, mas não se sabe quando foram criados ao certo. Ele é muito ágil e adora o seu dono se for bem tratado, claro.

Como ele é muito leal, ele faz um bom animal de estimação para se ter em família, também porque não dá trabalho nenhum a mantê-lo limpo. Também tem uma longa vida (por volta de dezoito anos), e subir sofás ou outras coisas é o seu passatempo preferido.

Que tal uma imagem engraçada deste bichano?

Fontes:Cães e Gatos/Gatos.com/J.blog
Continue Reading...

Dia 5 de Junho Dia Mundial do meio Ambiente

No dia 05 de junho comemora-se o dia do meio ambiente.


A criação da data foi em 1972, em virtude de um encontro promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas), a fim de tratar assuntos ambientais, que englobam o planeta, mais conhecido como conferência das Nações Unidas.
A conferência reuniu 113 países, além de 250 organizações não governamentais, onde a pauta principal abordava a degradação que o homem tem causado ao meio ambiente e os riscos para sua sobrevivência, onde a diversidade biológica deveria ser preservada acima de qualquer possibilidade.
Nessa reunião, criaram-se vários documentos relacionados às questões ambientais, bem como um plano para traçar as ações da humanidade e dos governantes diante do problema.
A importância da data é devido às discussões que se abrem sobre a poluição do ar, do solo e da água; desmatamento; diminuição da biodiversidade e da água potável ao consumo humano, destruição da camada de ozônio, destruição das espécies vegetais e das florestas, extinção de animais, dentre outros.
A partir de 1974, o Brasil iniciou um trabalho de preservação ambiental, através da secretaria especial do meio ambiente, para levar à população informações acerca das responsabilidades de cada um diante da natureza.
Mas em face da vida moderna, os prejuízos ainda estão maiores. Uma enorme quantidade de lixos é descartada todos os dias, como sacos, copos e garrafas de plástico, latas de alumínio, vidros em geral, papéis e papelões, causando a destruição da natureza e a morte de várias espécies animais.
A política de reaproveitamento do lixo ainda é muito fraca, em várias localidades ainda não há coleta seletiva; o que aumenta a poluição, pois vários tipos de lixos tóxicos, como pilhas e baterias são descartados de qualquer forma, levando a absorção dos mesmos pelo solo e a contaminação dos lençóis subterrâneos de água.
É importante que a população seja conscientizada dos males causados pela poluição do meio ambiente, assim como de políticas que revertam tal situação.
E cada um pode cumprir com o seu papel de cidadão, não jogando lixo nas ruas, usando menos produtos descartáveis e evitando sair de carro todos os dias. Se cada um fizer a sua parte o mundo será transformado e as gerações futuras viverão sem riscos.
Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia

 A importância desse dia tem precedentes. O meio ambiente e a ecologia passaram a ser uma preocupação em todo o mundo, em meados do século XX. Porém, foi ainda no séc. XIX que um biólogo alemão, Ernst Haeckel (1834-1919), criou formalmente a disciplina que estuda a relação dos seres vivos com o meio ambiente, ao propor, em 1866, o nome ecologia para esse ramo da biologia.
Celebrado de várias maneiras (paradas e concertos, competições ciclísticas ou até mesmo lançamentos de campanhas de limpeza nas cidades), esse dia é aproveitado em todo o mundo para chamar a atenção política para os problemas e para a necessidade urgente de ações.
Se há assunto que consegue igualar todas as pessoas nesse planeta é a questão ambiental: o que acontece de um lado, para bem ou para mal, vai sempre afetar o outro!
Nessa data, chefes de estado, secretários e ministros do meio ambiente fazem declarações e se comprometem a tomar conta da Terra. As mais sérias promessas têm sido feitas, que vão do be-a-bá ao estabelecimento de estruturas governamentais permanentes para lidar com gerenciamento ambiental e planejamento econômico, visando conseguir a vida sustentável no planeta.
Podemos, cada um de nós, já fazer a nossa parte para a preservação das condições mínimas de vida na Terra, hoje e no futuro, ou seja, investir mais naquilo que temos de valioso, que é a nossa inteligência, para aprender a consumir menos o que precisamos economizar: os recursos naturais. E é sempre bom lembrar que o Brasil, identificado como um dos nove países-chave para a sustentabilidade do planeta, já é considerado uma superpotência ambiental!

 As atividades do dia mundial do meio ambiente vão estar em todo o país e durante esta semana,exemplo:

A Semana do Meio Ambiente será movimentada com diversas ações no Recife e Região Metropolitana. As atividades são para lembrar o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado neste sábado (5).

LAGOA

Nesta sexta-feira (4), na Lagoa do Araçá, no bairro da Imbiribeira, na Zona Sul do Recife, crianças, estudantes, moradores e visitantes vão se unir para plantar mudas, limpar as ruas e alertar a população sobre a importância da lagoa para a cidade do Recife, além de realizar a soltura de 400 caranguejos.

PINA

Também nesta sexta, o Centro Escola Mangue dá início à etapa de visitas e diagnóstico dos manguezais do estuário do Pina, de seu projeto ‘Água Também é Mar’, que quer recuperar e conservar espécies e ambientes costeiros, marinhos e de água doce da região.

A atividade terá início às 7h com um passeio pelo mangue, nas baiteiras dos pescadores, para conhecer e entender os processos de degradação ambiental promovido pela ocupação desordenada do espaço urbano e pela ausência de políticas públicas em saneamento. A escola fica na rua Brazópolis nº 125, Brasília Teimosa.

CAJUEIRO
Em Cajueiro Seco, o Centro da Juventude, do Instituto Brasileiro Pró-Cidadania, irá lançar nesta sexta-feira (4), às 9h, na Praça Vereador Joaquim Ferreira, o projeto 'Nós Cuidamos da Praça'. Cerca de 50 jovens vão realizar um mutirão de limpeza para conscientizar a população, além de pintura de meio fio e plantio de mudas.

PAULISTA

Em Paulista, na Região Metropolitana, alunos da Escola Municipal Jaime Bold, na rua Marechal Hermes, na Vila Torres Galvão, participam de um plantio de mudas na mata do frio, nesta manhã. Serão plantadas mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, entre elas: Pau Brasil, cajá e caju.

JABOATÃO

Ainda nesta sexta, uma caminhada ecológica da ONG Natureza é Vida e Fundação Bradesco, a partir das 8h, marca a data no município de Jaboatão dos Guararapes. No sábado (5), é a vez de um passeio ciclístico com mais de 300 ciclistas. A saída está marcada para as 8h, do Colégio Sousa Leão, em Candeias. Na corrida em favor ao meio ambiente, equipes da Prefeitura farão a manutenção das 500 mudas plantadas no mesmo período, em 2009, nas avenidas Presidente Kennedy e Castelo Branco.

DOIS IRMÃOS

No domingo (6), quem for ao Parque Dois Irmãos poderá assistir ao esquete da peça teatral “E eu com isso?”, que chama à reflexão para as nossas atitudes em relação ao meio ambiente. A encenação é gratuita. Os visitantes do Parque terão acesso ao teatro.


BAHIA
Município de Salvador
Dia 5 de junho
- Feira Ambiental
Resumo:
realização de shows, palestras, oficinas ecológicas, oficinas educativas, atividades físicas, entre outras.
Onde: Jardim dos Namorados.
Quanto: evento gratuito.
Horário: a partir das 13h00.
- Exposição de fotos
Resumo:
Fotos de Rui Rezende com enfoque no diversos biomas e nas diversas regiões.
Onde: Espaço do Iguatemi.
Quanto: evento gratuito.
Horário: a partir das 17h00.
Dia 8 de junho
- Palestra Década da Água
Resumo:
palestra ministrada pelo Dr. José Machado, secretário executivo do
MMA.
Onde: Auditório da Azul da FLEM.
Quanto: evento gratuito.
Horário: a partir das 14h.

GOIÂNIA
Município de Goiás
Dia 8 de junho
- XII Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental – FICA
Resumo:
este ano, o tema do festival é "Mudanças Ambientais Globais: Tendências, Cenários e Impactos"
Quando: de 8 a 12 de junho de 2010
Onde: cinemas, praças e teatros da cidade de Goiás (Confira a programação completa em http://www.fica.art.br/).
Quanto: evento gratuito.

MINAS GERAIS
Município de Belo Horizonte
Dia 8 de junho
- Arte em Resíduos
Resumo:
exposição com 30 painéis confeccionados pelo artista plástico Eymard Brandão a partir de resíduos da siderurgia. As obras destacam os impactos ambientais deste setor de atividade.
Onde: Centro Mineiro de Referência em Resíduos. Rua Belém, 40, Belo Horizonte.
Quanto: evento gratuito.
Horário: a partir das 19h00.

Dia 9 de junho

- Série Diálogos – Minas Recicla

Resumo: debates sobre gestão, processamento, recolhimento e reciclagem de resíduos e trabalhos dos catadores
Onde: Centro Mineiro de Referência em Resíduos. Rua Belém, 40, Belo Horizonte.
Horário: das 8h30 às 12h30.

- Intervenções com um repentista
Resumo: violeiro executa repente abordando três vertentes: coleta seletiva, consumo consciente e necessidade de mudança de comportamento.
Onde: Restaurante da Cidade Administrativa
Quanto: evento gratuito.
Horário: das 12h00 às 14h00.

Dia 13 de junho

- Concerto Ambiental com a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais
Onde: Barragem Santa Lúcia.
Quanto: evento gratuito.
Horário: a partir das 11h00.

SÃO PAULO
Município de Campinas
Dia 4 de junho
- Carta da Terra com Ana Person
Resumo: baseado nos quatro capítulos da “Carta da Terra” o show apresenta 16 composições de Ana Person e outros compositores que refletem sobres os temas da Carta.
Onde: Área de Convivência do SESC Campinas.
Quanto: evento gratuito.
Horário: a partir das 20h.

Dia 6 de junho

- O Ser Humano e a Terra com Márcio Sartório
Resumo:
com vídeo projeções e composições de Márcio Sartório, composições de Caetano Veloso, Sá e Guarabira e Renato Teixeira, o show vislumbra estimular a reflexão ambiental, através de um repertório que traz como tema as relações entre o ser humano, sua cultura e os demais elementos da natureza.
Onde: Área de Convivência do SESC Campinas.
Quanto: evento gratuito.
Horário: 15h30.


Município de São Paulo
Dia 5 de junho

- Teatro Criança Ecológica

Resumo: o projeto Teatro Criança Ecológica leva educação ambiental de forma lúdica e interativa para alunos do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental.
Onde: Parque Vila Lobos.
Quanto: evento gratuito.
Horário: a partir das 10h.

- Trilha dos Sentidos
Resumo: o Núcleo Cabuçu leva os visitantes a uma trilha pelo parque onde os visitantes têm contato com diversas espécies naturais.
Onde: Parque Estadual da Cantareira
Quanto: evento gratuito.
Horário: das 9h30 às 12h30 e das 14h30 às 16h30

- Visita ao espaço Criança Ecológica
Resumo: o Núcleo Engordador fará a distribuição de mudas da Mata Atlântica, exposição de banners do Recante, além de apresentação de um vídeo sobre o lixo.
Onde: Parque Estadual da Cantareira.
Quanto: evento gratuito.
Horário: das 8h00 às 17h00.

- Festival Minuto
Resumo: exibições de vídeos sobre água.
Onde: Parque Estadual do Jaraguá.
Quanto: evento gratuito.
Horário: das 7h00 às 17h00.

- Você amigo do meio ambiente
Resumo: distribuição gratuita de mudas, apresentação de dança indígena e do filme “Dom Quixote Reciclado”.
Onde: Parque Estadual da Campina do Encantado.
Quanto: evento gratuito.
Horário: das 16h00 às 21h30.

- 7º Passeio Ciclístico e da 3ª Caminhada Ecológica
Resumo: evento aberto a crianças e adultos. Menores de 18 anos deverão trazer uma Autorização assinada pelo pai ou responsável no dia do evento.
Onde: Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo Santa Virgínia. Saída na Praça Oswaldo Cruz.
Quanto: evento gratuito.
Horário: a partir das 8h.
Dia 6 de junho

- Trilha dos Sentidos
Resumo: o Núcleo Cabuçu leva os visitantes a uma trilha pelo parque onde os visitantes têm contato com diversas espécies naturais.
Onde: Parque Estadual da Cantareira
Quanto: evento gratuito.
Horário: das 9h30 às 12h30 e das 14h30 às 16h30
- VIII Pedalada ecológica
Resumo:
evento vai reunir ciclistas da cidade. Não é necessária inscrição prévia para participar do evento.
Onde: Parque Estadual da Campina do Encantado.
Quanto: evento gratuito.
Horário: das 8h00 às 13h00.

Dia 7 de junho
- Palestra sobre o Meio Ambiente
Resumo: ministrada por da Polícia Ambiental, a palestrante falará sobre a contribuição que os cidadãos podem dar na preservação ambiental.
Onde: EMEF Débora Silva Camargo – Cananéia.
Quanto: evento gratuito.
Horário: das 8h30 às 11h00
Preservar o meio ambiente é muito importante para que possamos ter um planeta saudável e rico em recursos naturais no futuro.
Vamos aproveitar este dia e listar quantas ações podemos fazer para colaborar na preservação do meio ambiente. Se todo mundo fizer um pouquinho, podemos contribuir um montão para o mundo!
Segue algumas medidas que podemos facilmente tomar em casa e na escola:

Água
  • Escovando os dentes - desligue a água enquanto faz a escovação.
  • Lavando a louça - desligue a água enquanto ensaboa pratos, copos, talheres e panelas.
  • Tomando banho - nada de banhos muito longos e quando estiver se ensaboando, desligue a torneira.

Energia
  • Desligue as luzes - ao sair do seu quarto, sala ou cozinha não esqueça de apagar as luzes.
  • Desligue aparelhos eletrônicos - não deixe a televisão, rádio ou computador ligado caso não esteja sendo utilizado.
  • Ar condicionado - utilize com moderação!
  • Lavando roupa suja - dedique dias da semana para lavar a roupa. Assim você utiliza a máquina de lavar em sua capacidade máxima, economizando energia e água ao mesmo tempo.
  • Passando roupa - também dedique dias da semana para passar roupa. Evitando assim, o liga e desliga.

Lixo
  • Coleta seletiva - tenha uma atitude bacana. Programe a coleta seletiva na sua casa. É muito fácil, basta separar os lixos em: material orgânico, papel, metal, vidro e plástico.
Desta forma, você estará fazendo uma grande contribuição à mãe natureza, já que este material será reciclado, ou seja, será reaproveitado para a fabricação de novos produtos.


Transportes
As emissões de gases emitidos pelos transportes é muito nociva para a nossa atmosfera. Mas podemos tomar algumas atitudes para contribuir na diminuição da emissão de gases.
  • A caminho da escola - Utilizar os transportes coletivos é sempre mais saudável para o planeta. Por isto, quanto mais gente utilizar um mesmo veículo melhor. Se você vai de carro para a escola, que tal combinar um rodízio com os colegas que moram perto! Além de ser uma atitude consciente, você aproveita e faz novos amigos!
Agora, se a sua escola é perto de casa, larga de preguiça e vá a pé! Assim, você estará cuidando da saúde do nosso planeta, e da sua saúde também!

Um abraço verde da Equipe O Reino dos bichos
E vamos fazer a Nossa parte.


Fonte: Brasil Escola/ IBGE teen/Instituto Akatu/Smart Kids
Continue Reading...

terça-feira, 1 de junho de 2010

BRITISH COUNCIL ABRE INSCRIÇÕES PARA O PROGRAMA GLOBAL CHANGEMAKERS 2010

 

60 jovens ativistas de várias áreas terão a oportunidade de participar de um evento internacional no Rio em 2010
– O British Council – órgão internacional do Reino Unido para assuntos educacionais e culturais – abre inscrições até dia 04 de junho para o programa Global Changemakers. Os vencedores, jovens ativistas entre 18 e 24 anos, representarão diversos países no primeiro Latin America Youth Summit. Os participantes terão a oportunidade de trocar experiências, aprimorar seus conhecimentos sobre questões globais e regionais e aprender técnicas de gerenciamento de projetos para desenvolverem ações sociais em suas comunidades. O evento acontecerá na primeira semana de agosto no Rio de Janeiro e todas as despesas de passagem e estadia serão pagas pelo programa.
SELEÇÃO
Para participar, o primeiro passo é se cadastrar no website http://www.global-changemakers.net/register. Após receber a confirmação por e-mail com o código para ativar sua conta, clicar no banner “sign in” no topo do site, à direita. Ao acessar o site, preencher o formulário de inscrição no link http://www.global-changemakers.net/events/upcoming/latin-america-youth-summit-2010/call-for-applications e postar um vídeo no youtube. Através do vídeo o candidato deverá se apresentar, explicar seu projeto social ou voluntariado e expor seu interesse no programa.
PRÉ-REQUISITOS
- Ser um ativista, voluntário ou empreendedor social entre 18 e 24 anos;
- Gostar de trabalhar em grupo e ter boa capacidade de comunicação;
- Ser capaz de fazer apresentações e expressar-se bem em inglês.
O PROGRAMA
O Programa Global Changemakers funciona como uma rede global que reúne jovens ativistas para trocar idéias e trabalhar em projetos que impactam a vida dos moradores de suas comunidades.
Alguns Global Changemakers são selecionados para participar de outros grandes encontros como o Fórum Econômico Mundial e eventos da ONU, e ainda recebem auxílio financeiro do British Council para desenvolver Projetos de Ação Comunitária nas mais diversas áreas, como direitos humanos, alterações climáticas, paz, alívio da pobreza, do trabalho juvenil, direitos das mulheres, entre outros.
“Após o Global Youth Summit eu me tornei um empreendedor social liderando projetos nacionais e internacionais. Sua visão se torna mais ampla quando você passa a ser um Global Changemaker, pois você ganha ferramentas para progredir em suas iniciativas de ativismo social e, conseqüentemente, implementar mudanças" conta o jovem Ítalo Ribeiro, Global Changemaker em 2009, que participou do Youth Summit 2009 em Londres e foi convidado pelo British Council a reportar os resultados na residência do então primeiro ministro do Reino Unido, Gordon Brown.
Para mais informações, por favor, entrar em contato com Roberta Guimarães, Gerente de Projetos.
Apoio: Planeta Voluntários
Sobre o British Council
O British Council é a organização internacional do Reino Unido para Educação e relações culturais. Busca estabelecer a troca de experiências e fortalecer laços que resulte em benefícios mútuos entre o Reino Unido e os países onde está presente atuando em: Educação, Língua Inglesa, Ciências, Arte, Governança e Direitos Humanos. O British Council está presente em 223 cidades e 109 países. Seus principais parceiros incluem governos, organizações não-governamentais e instituições privadas.
Continue Reading...
 

Blogroll

Desmatamento leva a extinção de espécies.

Desmatar leva à destruição dos ecossistemas e à extinção das espécies que neles vivem. A Ciência identificou até hoje cerca de 1,4 milhões de espécies biológicas. Desconfia-se que devam existir mais de 30 milhões, ainda por identificar, a maior parte delas em regiões como as florestas tropicais úmidas. Calcula-se que desaparecem 100 espécies, a cada dia, por causa do desmatamento! http://www.poupetempo.com.br Este site trás informações para se adotar um animal.

O Reino dos Bichos Copyright © 2009 WoodMag is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template