diHITT - Notícias O Reino dos Bichos: Julho 2010 BlogBlogs.Com.Br

sexta-feira, 30 de julho de 2010

O maior desastre ambiental dos ultimos anos....A natureza agoniza nas águas do golfo!

Petróleo  há mais 60 dias jorra nas águas do Golfo do México e mancha a imagem de gerenciador de crises de Obama colocando o presidente diante do maior desafio enfrentado pelo seu governo.

 A notícia corre o mundo.

São milhares de toneladas de petróleo despejadas todos os dias no golfo do Mexico.


As dificuldades do grupo petroleiro britânico BP em deter a maré negra no Golfo do México suscitam novas interrogações sobre as perfurações em águas profundas, com efeitos possíveis para projetos de exploração, inclusive o do pré-sal no Brasil, e um aumento certo nos custos de extração e, portanto, dos preços do barril.
"O que está acontecendo é algo que afetará a indústria mundial de gás e petróleo e terá, necessariamente um amplo impacto, não só nos Estados Unidos, mas em todo o mundo", disse nesta sexta-feira Tony Hayward, conselheiro delegado do grupo BP, que originou a pior maré negra da história dos Estados Unidos.
Na véspera, ele admitiu ao Financial Times que a BP não tinha "os instrumentos necessários em (sua) caixa de ferramentas".
"Os acontecimentos do Golfo do México demonstraram que perfurar a uma milha (1,6 km) de profundidade, mais 2 milhas na rocha submarina é um pouco como enviar um homem à Lua. A tecnologia para encontrar petróleo a estas profundidades existe (...), mas a tecnologia para administrar um desastre a esta distância, não", disse David Hufton, analista da PVM.

A primeira consequência para a indústria foi a moratória de seis meses decretada pelos Estados Unidos sobre novas perfurações, que adiou vários projetos petroleiros em frente à costa do Alasca.
Seu impacto deveria ser pouco importante. Segundo um estudo de Wood Machenzie, reduziria em 80.000 barris diários a produção mundial em 2011, isto é, menos de 1% do total.
Mas as consequências da catástrofe para o abastecimento devem ir muito além das restrições.
"A incerteza sobre o futuro das perfurações petroleiras em águas profundas é agora considerável nos Estados Unidos e em outros lugares", disse Helen Henton, analista do banco Standard Chartered.
Para o mercado americano, estas dúvidas não são insignificantes. O Golfo do México representa 19% das reservas de petróleo americanas, 80% das quais em águas profundas, e 29% da produção nacional, afirmou.
Segundo a Agência Nacional de Energia, esta região é essencial para assegurar a oferta futura do planeta: deveria fornecer meio milhão de barris diários acima de sua produção atual entre 2008 e 2014.
A catástrofe poderia ter, também, efeitos na exploração de uma jazida ainda mais promissora: as reservas offshore de Brasil, estimadas em 50 bilhões de barris de petróleo presas sob uma espessa camada de sal a 7.000 metros de profundidade.

"A última consequência (da maré negra) será frear o desenvolvimento dos projetos em águas profundas, aumentar os custos de produção, o que fará subir os preços do petróleo a longo prazo", concluiu Henton.
"É surpreendente que os preços do barril não tenham reagido com mais força", emendou Hufton.
A maré negra demonstrou a dificuldade das companhias privadas para ter acesso a novas reservas: distantes das grandes jazidas "fáceis" do Oriente Medio, com exceção do Iraque, devem procurar petróleo em condições cada vez mais perigosas.
"O mundo precisa do aporte do petróleo de águas profundas e os Estados Unidos podem se beneficiar amplamente destes recursos do Golfo do México", disse Hayward.
Também dá argumentos aos defensores do "pico petroleiro", aqueles especialistas convencidos de que a era dos hidrocarbonetos está prestes a terminar.
"A indústria perfura a profundidades tão extremas só porque tem poucas alternativas (...); é um sinal claro da iminência do pico petroleiro", escreveu no jornal The Independant David Strahan, autor de "The last oil shock" (A última crise do petróleo, em tradução livre).

 Na opinião de muitos analistas políticos, a maré de óleo será para Obama o que o furacão Katrina foi para o seu antecessor. "Obama tem um problema político. A mancha de petróleo vai grudar nos seus sapatos com a mesma tenacidade que a falta de gerenciamento após o furacão Katrina grudou nos do antecessor George W. Bush", escreveu o jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung.
Os críticos acusam o presidente de mau gerenciamento da crise, de ter encarado o problema de forma hesitante e tardia. Pior do que isso: pouco antes do desastre, Obama se colocou ao lado da indústria, defendendo claramente a extração de petróleo em águas profundas. "Eu me enganei", diz ele hoje.
E o fato é que não há muito que Obama possa fazer além de elevar a pressão sobre a petroleira BP para que feche de uma vez o buraco por onde jorram entre 1.600 e 3.400 toneladas de óleo cru no mar todos os dias, segundo estimativas. É a indústria, e não o governo, que detém o know-how para as explorações em águas profundas.
"Há quase dois anos, foi uma crise que guindou Obama à Casa Branca. E agora uma crise pode colar na sua administração a pior e mais duradoura mancha. O cool gerenciador de crises (…) [de 2008] simplesmente não sabe o que fazer contra a mancha de óleo no Golfo do México em 2010", avaliou o jornal alemão Handelsblatt.
Obama reagiu às críticas. "Eu assumo a responsabilidade", afirmou numa entrevista coletiva para a imprensa, na quinta-feira passada. E anunciou a prorrogação por seis meses da moratória para perfurações em águas profundas na região do Golfo do México.
"Aqueles que pensam que fomos lentos na resposta ou que falhamos na urgência desconhecem os fatos", afirmou Obama. "Essa tem sido a nossa mais alta prioridade desde o início da crise."
Na sexta-feira, Obama viajou para as regiões atingidas – foi apenas a segunda viagem em 40 dias de desastre. Na região costeira do estado de Louisiana, Obama conversou com pescadores, moradores e políticos locais. "Estou aqui para dizer a vocês que não estão sozinhos. Vocês não serão abandonados."
A mensagem é especialmente importante para a região, cujos habitantes ainda trazem vivas na memória as lembranças da devastação causada pelo Katrina, que destruiu a capital Nova Orleans.


Fracasso e nova tentativa
A sorte, porém, não está do lado do presidente. Neste sábado, a BP anunciou o fracasso da operação Top Kill, destinada a conter o vazamento. A operação, complicada e sem precedentes à profundidade de 1.500 metros, consistia em enviar para dentro do poço uma espécie de lama, formada com a mistura de água e de matérias sólidas.

Até bolas de golfe, pedaços de pneus e cordas foram usados pela BP para tentar bloquear o vazamento. Quando ele parasse, seria necessário cimentar o buraco.
Obama anunciou o fracasso neste sábado: "Se no início recebemos relatos positivos sobre o procedimento, agora está claro que ele não funcionou". Com isso, a BP se voltou para uma nova tentativa. Ela poderá levar até mais de quatro dias para ser posta em prática, afirmou o diretor de operações da empresa, Doug Suttles.
Segundo ele, o novo método consiste em enviar robôs ao fundo do mar. Eles deverão serrar os tubos danificados do poço e depois cobrir o local com uma estrutura que permita capturar o petróleo e posteriormente transferi-lo para um navio.
"Este método não está isento de riscos e nunca foi testado anteriormente a esta profundidade", recordou o presidente norte-americano. "Foi por isso que não foi posto em prática antes de todas as outras opções terem sido tentadas. Será difícil e demorará vários dias", advertiu.
Nas palavras da assessora para energia de Obama, Carol Browner, o governo está preparado para o pior. "Poderá haver petróleo vazando até agosto", declarou à emissora de televisão NBC. "Este é provavelmente o pior desastre ambiental que já enfrentamos neste país."

A British Petroleum se comprometeu a reservar US$ 20 bilhões para pagar prejuízos financeiros no Golfo,mas e os prejuizos ambientais causados neste incidente?

 Estima-se que entre 12 e 19 mil barris de petróleo são despejados por dia nas águas do Golfo. 

Podemos notar nesta foto as ondas com petróleo chegaram à costa da Praia Orange, no Alabama, EUA


A natureza esta cada vez mais ofendida com as ações do homem.



Abaixo um comentário do blog Substantivo Plural



O petróleo (o ouro negro) é um dos maiores poluidores do mundo. Seja poluindo a atmosfera via gás carbônico, seja poluindo nossos mares nos muitos vazamentos de navios petroleiros e desastres em poços de petróleo como esse do Golfo do México. Muitas guerras foram provocadas por conta do petróleo.
A escolha pelo petróleo como forma de produção de energia foi uma escolha suicida. A humanidade precisa urgentemente pensar em formas alternativas de produção da energia. Energia que move o mundo, Sem ela não podemos viver. Quem mais polui não quer parar de poluir.


O petróleo vai continuar matando nossos mares por algumas décadas. O mar, fonte de vida inesgotável.
Como paliativo do poço em águas profundas no golfo do México, vão tentar fechar e não mais utilizá-lo.
Só nos resta chorar e lamentar mais esse acidente. Milhares e milhares de espécies mortas.

Na Bélgica, ativistas do Greenpeace cobrem seus corpos com petróleo falso pelo Golfo do México

 Também houve manifestação na sede da petrolífera em Londres
Militantes da organização ecológica Greenpeace escalaram numa quinta-feira em maio a sede da petrolífera britânica BP no centro de Londres para protestar contra a maré negra no Golfo do México.
Oito ativistas colocaram uma bandeira com o logo verde, amarelo e branco da companhia manchado de negro, simbolizando o vazamento provocado em 22 de abril passado pela explosão e posterior afundamento da plataforma Deepwater Horizon.

A polícia foi chamada, mas não realizou nenhuma detenção.
"O vazamento de petróleo no Golfo do México se originou das decisões tomadas nesse prédio", afirmou um dos manifestantes, Ben Stewart, de 36 anos.
Um porta-voz da BP assinalou, por sua parte, que os militantes abandonaram o prédio e não perturbaram a atividade da companhia.


Segundo os dados apresentados pela própria empresa responsável pelo vazamento o desastre pode durar anos para ser totalmente limpo.
Grandes faixas de petróleo não se integram à maré negra que cobre a superfície de parte do Golfo do México e se mantêm circulando no fundo do mar, uma situação que, alertaram cientistas , pode ser devastadora para o ecossistema submarino da região.
"Amostras de água retiradas da região e analisadas por especialistas mostraram extensas faixas de petróleo em profundidades entre 50 e 1.400 metros", disse à AFP o oceanógrafo Yonggang Liu, da Universidade do Sul da Flórida (USF, na sigla em inglês).
"Esse petróleo em águas profundas é invisível para os satélites", disse Liu, da Escola de Ciências Marinhas da USF, que integra uma equipe de especialistas de várias entidades especializadas que acompanham a circulação do vazamento na superfície e debaixo d'água.
O fato de se manter oculto não faz com que seja menos nocivo, ao contrário, já que torna quase impossível limpá-lo e combater seus efeitos, afirmaram especialistas.
"É uma questão de lógica ver que o ecossistema em águas profundas do Golfo vai ser afetado (...). O impacto pode ser muito grande em toda a cadeia alimentar, em espécies de peixes sensíveis e em pequenas criaturas do oceano", acrescentaram.


"Não estamos mais lidando com um grande vazamento monolítico. Estamos lidando com uma agregação de centenas de milhares de manchas de óleo que estão indo em muitas direções diferentes", disse Allen.
"Lidar com o vazamento de óleo na superfície vai durar um par de meses (depois de tampado o poço). Questões de longo prazo para a restauração do meio ambiente e dos habitats (...) levarão anos."

Segundo alguns, explorar as águas profundas aqui pode ser mais perigoso do que no Golfo do México. Por isso, um acidente como o dos EUA poderia acontecer no Brasil.



Fontes: O Estadão/Blog Lado C/Ig/Google
Continue Reading...

Escorpiões

 O escorpião, também conhecido por lacrau ou alacrau, é um animal invertebrado artrópode (com patas formadas por vários segmentos) que pertence à ordem Scorpiones estando enquadrado na classe dos aracnídeos .

Etimologia e origens

O nome escorpião é derivado do latim scorpio/scorpionis. Lacrau vem do árabe al-'aqrab.
Existem registros científicos da existência dos escorpiões há mais de 400 milhões de anos. Segundo pesquisas, foram eles os primeiros artrópodes a conquistar o ambiente terrestre. Nesta adaptação, lhes foi muito útil a carapaça de quitina que compõe o seu exoesqueleto e que evita a evaporação excessiva.
Atualmente já estão catalogadas cerca de 1600 espécies e subespécies distribuídas em 116 gêneros diferentes em todo o mundo. No Brasil existem cerca de 140 espécies.
Existem escorpiões em todos os continentes, exceto na Antártida e Nova Zelândia. Encontramos espécies nos Alpes suíços e Europa em geral, no México, Estados Unidos e Canadá, na América do Sul em geral, entre lixo e entulhos das pequenas e grandes cidades, na Floresta Amazônica (Brasil), na Oceania, no norte do Mediterrâneo, no Oriente Médio, na Índia, no norte e sul da África e Ásia. Suas cores variam do amarelo palha ao negro total, passando por tons intermediários, como o amarelo-avermelhado, vermelho-amarronzado, marrom e tons de verde ou mesmo de azul.

Vida, alimentação e hábitos

 

As diferentes espécies de escorpiões têm tempos de vida muito diferentes e o tempo de vida real da maioria das espécies não é conhecido. A gama do tempo de vida parece situar-se entre os 4 a 25 anos, tendo sido 25 anos o tempo de vida máximo registado para a espécie H. arizonensis.
Preferem viver em áreas com uma temperatura entre 20 °C e 37 °C, mas sobrevivem em temperaturas de 14 °C a 56 °C. Perfeitamente adaptados às condições climatéricas do deserto, suportam uma amplitude térmica diária na ordem dos 40 °C.
São animais carnívoros e têm geralmente hábitos noturnos e crepusculares, quando caçam e se reproduzem. Sua alimentação é baseada em insetos invertebrados tais como cupins, grilos, baratas, moscas e mutucas, e também de outro aracnídeo, a aranha. Uma curiosidade a destacar é o fato de, quando da escassez completa de alimento, os animais desta espécie praticam o canibalismo para sobreviver, ou seja, devoram seus semelhantes. Os escorpiões conseguem comer quantidades imensas de alimento, mas conseguem sobreviver com 10% da comida de que necessitam, podendo passar até um ano sem comer e consumindo muitíssimo pouca água, quase nada durante sua vida inteira.
Os escorpiões têm uma forma de se alimentarem característica, usando as suas quelíceras. Estas são umas pequenas garras que saem da boca, muito afiadas, que são usadas para retirar pequenos pedaços de alimento da sua presa e colocá-los na boca. O escorpião só digere alimentos em forma líquida, rejeitando qualquer matéria sólida (pêlo, exoesqueleto, etc.).
Os predadores naturais do escorpião são as lacraias, louva-deus, macacos, aranhas, sapos, lagartos, seriemas, corujas, gaviões, quatis, galinhas, camundongos, algumas formigas e os próprios escorpiões.

Reprodução

A reprodução da grande maioria das espécies é sexuada, exigindo a intervenção de machos e fêmeas. Porém, algumas espécies possuem reprodução monóica (também chamada partenogênese), ou seja, não exige a presença de machos. Neste processo, óvulos não fertilizados dão origem a embriões vivos. Na reprodução sexuada, tal como em outras espécies, há uma dança nupcial que antecede o acasalamento. O macho limpa o chão com os pentes e deposita aí uma cápsula contendo espermatozóides (espermatóforo). De seguida, arrasta a fêmea para cima dos espermatozóides a fim de que ela os receba.
Os escorpiões são vivíparos, ou seja, não põem ovos. Podem gerar de 6 a 90 filhotes e o tempo de gestação varia com a temperatura, espécie e alimentação da mãe, podendo estar entre 2 meses e 2 anos. Os filhotes nascem completamente brancos e por meio de parto, através de uma fenda genital. Eles ficam colados ao dorso materno por cerca de 10 a 14 dias até completar-se a primeira muda (quanto mais jovem o escorpião, mais mudas ele fará) até que consigam obter seu próprio alimento sozinhos. A idade adulta é alcançada com cerca de um ano de vida.

Características físicas

O corpo dos escorpiões é dividido em prosomo (cefalotórax), mesossomo e metassomo.
  • O prosomo é a região anterior, onde se encontram os olhos, quelíceras, pedipalpos terminados em quelas (pinças) e pernas e os pentes.
  • O mesossomo é a região larga do corpo, onde se encontram as cauda, ali se encontram uma estrutura cilíndrica com um espinho na ponta, chamada telson (o ferrão), duas glândulas de veneno e o ânus.
Das 1600 espécies de escorpião, apenas 25 causam graves acidentes ao homem.
Algumas espécies atingem dimensões da ordem dos 30 cm e chegam a capturar até pequenos vertebrados (lagartos, rãs e roedores).
Os artrópodes possuem esqueleto externo—o exosqueleto, uma estrutura dura, quitinosa, que reveste seu corpo. Os aracnídeos são artrópodes sem antenas, com quatro pares de patas torácicas e um par de palpos. Respiram por meio de filotraquéias, pulmões foliares, como páginas de um livro. Seu corpo é dividido em cefalotórax e abdômen.
Os escorpiões diferem dos outros aracnídeos por terem palpos compridos, além da característica cauda longa e perigosa. Os palpos funcionam como pinças grandes e poderosas, que podem ser usadas para segurar e dominar suas presas. São muito sensíveis ao tato e ao deslocamento do ar, devido à presença de cerdas muito longas e finas.Os escorpiões também podem possuir maior número de olhos que outros aracnídeos, algumas espécies chegando a possuir até seis pares, embora não seja comum.
O corpo do escorpião é constituído por uma parte mais volumosa, o tronco, e por outra mais longa e estreita, chamada "cauda". A carapaça que constitui o tronco sem apresentar segmentação é chamada prossoma e engloba o cefalotórax, que não apresenta uma cabeça distinta. A parte que constitui o abdômen é o opistossoma e é bastante segmentada, chegando a apresentar doze segmentos. O opistossoma divide-se em mesossoma, porção abdominal que faz parte do tronco, e metassoma, porção formada pelos cinco segmentos posteriores. Estes constituem a cauda, juntamente com o telso, o último anel. A cauda termina como um aguilhão e é através deste ferrão que o escorpião inocula sua peçonha. No cefalotórax localizam-se os dois olhos medianos, na saliência cômoro-ocular, e os olhos laterais, de cada lado da carapaça.

 Veneno e toxicidade

O ferrão do escorpião (chamado de telson), além de servir para agarrar a presa, se defender, e no acasalamento, inocula na presa um veneno. Este veneno contém uma série de substâncias cuja composição química não está bem definida, porém contém neurotoxinas, histaminas, seratonina, enzimas, inibidores de enzimas, e outras. Parece, segundo os pesquisadores, que as neurotoxinas agem sobre as células nervosas da presa, com uma certa especificidade, dependendo do tipo de animal.
É interessante saber que a toxicidade do veneno de um escorpião pode ser comparada com o tamanho de seus pedipalpos (o equivalente ao braço humano do escorpião); quanto mais robustos os pedipalpos, menos o escorpião utiliza-se do veneno para com suas presas e quanto menores eles forem, mais o veneno do escorpião pode ser letal às suas presas.
O veneno de escorpiões do tipo Tityus serrulatus, que parece ser o veneno mais tóxico de todos os escorpiões da América do Sul, age sobre o sistema nervoso periférico dos humanos, causando dor, pontadas, aumentando a pulsação cardíaca e diminuindo a temperatura corporal. Estes sintomas, devido ao seu peso corporal, são mais acentuados em crianças, e devido às condições físicas, aos idosos. Todos os escorpiões são venenosos, porém apenas 25 espécies podem ser mortais aos humanos. Sua ferroada assemelha-se em grau de toxicidade da ferroada de uma abelha.
O tratamento consiste na aplicação local da ferroada de um anestésico (lidocaína a 2%) e soro antiescorpiônico (obtido de escorpiões vivos). O tratamento deve ser hospitalar, de preferência com a apresentação do escorpião para facilitar o diagnóstico e o tratamento.

 Prevenção de acidentes

Os escorpiões só atacam o homem quando se sentem acuados e em circunstância de defesa. Para que um acidente com escorpiões não ocorra, devem-se tomar algumas medidas básicas de prevenção. Veja a seguir:
  • Sacuda e examine calçados e roupas antes de usar;
  • Mantenha limpos os locais próximos a residências evitando acúmulo de lixo, entulhos e materiais de construção;
  • Mantenha o habitat familiar livre de baratas, que são reconhecidas como um dos principais alimentos dos escorpiões nos centros urbanos.
  • Não coloque mãos e pés dentro de buracos, montes de pedras ou lenhas;
  • Use sempre calçados e luvas nas atividades rurais ou de jardinagem;
  • Use telas e vedantes em portas e janelas;
  • Use ralos protetores;
  • Crie aves domésticas em zonas rurais, que agem como predadores naturais;
  • Em áreas sabidamente escorpiônicas, mantenha as camas a uma distância mínima de 10 cm das paredes.

E se houver um acidente?


Se ainda assim um acidente com escorpiões ocorrer, primeiro deve-se evitar o pânico, lavar o local com água e sabão, aplicar compressas de água fria (para causar vasoconstricção e diminuir a profusão do veneno) e procurar um médico.
O ser humano, após ser picado, pode ter hipotermia ou hipertermia, sudorese profunda, visão embaçada, náuseas, vômitos, dor abdominal, diarréia, arritmias cardíacas, choque, taquipnéia, edema pulmonar agudo, agitação, sonolência, confusões mental e tremores, além de inchaço e vermelhidão no local da picada.
Saliente-se que a toxicidade do veneno depende de diversos fatores, tais como a espécie do escorpião (de 1600 espécies catalogadas apenas 25 são venenosas ao homem); a quantidade de peçonha (veneno) injetada; o tamanho e o estado físico da vítima.
Atenção especial para crianças e idosos: enquanto as crianças têm mais chances de envenenamento porque possuem menor massa corporal, os idosos também caem nesta situação já pelo estado natural da velhice. Já foram constatados casos de pessoas alérgicas ao veneno do escorpião, nestes casos o veneno age muito rápido, podendo levar a vítima à morte em pouco tempo.
É recomendável a captura do escorpião para que seja identificado mais rapidamente qual o antídoto a ser aplicado. Se a vítima estiver no Brasil, pode fazer uma ligação gratuita para 0800 780 200, órgão que possui uma equipe especializada para fazer a identificação destes animais e indicar o socorro mais adequado para a situação.

O corpo dos escorpiões é igual ao das aranhas, com uma única diferença: o abdome é dividido em duas partes, pré-abdome e pós-abdome. No pós-abdome, encontra-se a glândula que produz o veneno, que o animal injeta na vítima com um aguilhão.
O maior de todos os escorpiões pode atingir até 21 cm e o menor chega no máximo a 12 mm quando adulto.
Os escorpiões se destacam entre os aracnídeos por terem uma duração de vida que vai além de uma estação. Sua longevidade vai dos 2 aos 6 anos. O maior tempo de vida registrado para um escorpião chega até 8 anos.
Os escorpiões podem viver tanto em lugares desertos quanto nas matas. Vivem também debaixo de pedras, tijolos, telhas e nas fendas das árvores. Acumular entulhos de obras e lixo em quintais e terrenos baldios onde se propaga insetos que constituem um ótimo ambiente para os escorpiões que encontram uma dieta constituída de: aranhas, baratas, grilos e moscas. Quando não encontra comida, os escorpiões praticam o canibalismo, isto é, devoram-se uns aos outros.
O atributo mais notório de um escorpião é seu ferrão venenoso. O veneno dos escorpiões é neurotóxico. Sua ação é muito rápida e forte. A dor é intensa se irradiando por todo o corpo da vítima. Agindo especialmente sobre o sistema nervoso, pode causar a morte por asfixia, pois os comandos que controlam a respiração ficam bloqueados. O soro anti-escorpiônico é o único remédio eficaz contra as ferroadas dos escorpiões. Todas as espécies de escorpião são venenosas.
Entre as cerca de 1050 espécies conhecidas, apenas um pequeno número é perigoso para os seres humanos a maioria produz uma reação semelhante à da ferroada da abelha, que é muito dolorosa, embora geralmente não ofereça perigo de morte.
Para os insetos, que são alimento potencial de escorpiões, todos os escorpiões são mortalmente venenosos.


Vejamos agora algumas principais espécies deste animal:
Tityus serrulatus
Tityus serrulatus
Nome científico:Tityus serrulatus
Nome comum: escorpião amarelo
Mede cerca de até 7cm de comprimento. Apresenta o tronco escuro, patas, pedipalpos e cauda amarela sendo esta serrilhada no lado dorsal. Considerado o mais venenoso da América do Sul, é o escorpião causador de acidentes graves, principalmente no Estado de Minas Gerais.
Tityus bahiensis
Tityus bahiensis
Nome científico: Tityus bahiensis
Apresenta uma coloração marrom-escuro, às vezes marrom-avermelhado, pernas amareladas com manchas escuras. Fêmures e tíbias dos pedipalpos com mancha escura. A mão do macho é bem dilatada. Esta espécie é o causador dos acidentes mais freqüentes em São Paulo.
Bothriurus araguayae
Bothriurus araguayae
Nome Científico: Bothriurus araguayae
O Bothriurus araguayae é um animal inofensivo não oferecendo perigo algum, por isto, é uma espécie apenas controlada para a preservação.
Tityus stigmurus
Tityus stigmurus
Nome científico: Tityus stigmurus
Apresenta uma coloração amarelo-claro com um triângulo negro na cabeça e uma faixa longitudinal mediana e manchas laterais no tronco.
Tityus cambridgei
Tityus cambridgei
Nome científico: Tityus cambridgei
Apresenta colorido geral castanho-avermelhado, com pontos de cor clara. O macho apresenta uma cauda mais longa que a fêmea.
Nome científico: Tityus trivittatus
Apresenta colorido amarelo-escuro, com três faixas longitudinais quase negras, podendo haver pequenas variações na cor. Atinge cerca de 7cm de tamanho.
Pandinus Imperator
Pandinus Imperator
Nome científico: Pandinus Imperator
Nome comum: Escorpião Imperador
O Escorpião Imperador (pandinus imperator) é uma espécie noturna originária da zona oeste do continente africano. De cor preta, quando colocado sob uma luz negra exibe uns reflexos verdes lembrando um tom metálico. Os escorpiões Imperador são quase cegos, mas, possuem pêlos sensoriais ao longo do corpo que suprem esta deficiência.

Cerca de 116 gêneros de escorpiões já foram identificados no mundo, os quais subdividem-se em cerca de 1.500 espécies. Embora sejam venenosos e peçonhentos, nem todas as espécies representam riscos a saúde pública.
A picada é muito dolorida, realizada através do ferrão que se localiza em sua extremidade final.
Os escorpiões habitam em áreas de clima quente, nas zonas tropicais e subtropicais, além de regiões áridas com muito pedregulho, que proporcionam esconderijo e proteção.
Seu alimento preferido são as baratas, mas os grilos e as aranhas também são apreciados.
Preferem caçar seu alimento do que recebê-lo morto, mas possuem uma particularidade importante: podem viver até um ano sem se alimentar. Desta forma, adaptam-se facilmente às condições adversas e conseguem sobreviver em esgotos, entulhos, pilhas de madeiras, pilhas de tijolos ou de telhas, cemitérios, abrigos nos domicílios, caixas de fiação elétrica, conduítes, entre outros.


Gary A. Polis, The Biology of Scorpions; Stanford University Press; Stanford, CA
Brasil. Ministerio da Saúde. Fundacao Nacional de Saúde, Manual de diagnostico e tratamento de acidentes por animais peçonhentos, Brasília; Brasil. Ministerio da Saúde. Fundação Nacional de Saúde; 1998. 131 p.
Aranha F. Os escorpiões e suas relações com o homem: uma revisão. Ciência e Cultura 1988


Fontes: Fiocruz/Wikipédia/Infobibos
Continue Reading...

Noticia do Estadão sobre acidentes com animais peçonhentos...

Casos crescem quase 33% em seis anos no Brasil


SÃO PAULO - Uma análise de dados do Ministério da Saúde revela que, nos últimos seis anos, o número de acidentes com animais peçonhentos cresceu 32,7%, em todo o Brasil. Em 2003, foram 68.219 notificações, contra 90.558 em 2009. No ano passado, os escorpiões lideraram o ranking, com 45.721 acidentes, seguidos pelas serpentes, com 22.763. Aranhas e lagartas foram responsáveis por 18.687 e 3.387 notificações, respectivamente.
Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE
Aranhas foram responsáveis por 18.687 casos em 2009
Dados preliminares indicam, ainda, que acidentes com esses animais foram responsáveis por 309 mortes no Brasil em 2009. Os animais peçonhentos são aqueles que possuem veneno e são capazes de injetá-lo por meio de dentes ou ferrões. Dependendo da espécie do animal, os acidentes podem até levar à morte, caso a pessoa não seja socorrida e tratada adequadamente com soro específico.
Em geral, as serpentes são os animais peçonhentos mais conhecidos e temidos. No entanto, animais menores - como escorpiões, aranhas e lagartas - podem ser tão letais quanto as serpentes venenosas. Para se prevenir, Daniel Sifuentes, responsável pela Área Técnica de Animais Peçonhentos da Secretaria de Vigilância em Saúde do ministério, explica que a melhor maneira de evitar um acidente é conhecer os animais e os hábitos deles, principalmente nas grandes cidades.
A partir disso, a adoção de algumas medidas simples pode impedir o contato ou os acidentes com animais peçonhentos. "A maioria das pessoas não conhece os animais e, quando ocorre o contato, não dá o devido valor para o evento, por não achar grave. Mas, se ocorrer algum acidente com esse tipo de animal, é importante procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo", recomenda Sifuentes.
  
Diferenças regionais
As chuvas, em geral, também fazem aumentar o número de acidentes com animais peçonhentos. Uma das hipóteses é que, com os alagamentos, esses animais são obrigados a sair de seus esconderijos naturais, principalmente no caso de serpentes e lagartas.
No entanto, como a estação chuvosa varia entre as regiões, os meses de maior incidência de casos também são diferentes em cada localidade. "Na Região Nordeste, por exemplo, os acidentes com serpente estão concentrados nos meses de abril a julho, que este ano coincidiu com o período das enchentes", explica Sifuentes.
Capacitação
Em 2009, o Ministério da Saúde realizou cursos de capacitação técnica nos quatro Estados com maior incidência de acidentes com escorpiões: Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Paraná.
Também houve capacitações no Pará, que apresenta espécies diferentes do restante do País. Este ano, a área técnica distribuiu às secretarias estaduais da Saúde 100 mil cartazes com orientações sobre educação ambiental e prevenção de acidentes com escorpiões.
Conheça abaixo os hábitos dos principais animais peçonhentos e o que pode ser feito para evitar acidentes:
Escorpiões
Os escorpiões injetam veneno por meio de um ferrão localizado na ponta da cauda. Apenas em 2009, esse animal foi responsável por 47.815 casos e 103 óbitos no Brasil. Os escorpiões se escondem perto das casas, em terrenos baldios, velhas construções, entulhos, pilhas de madeira e lenha, tijolos, mato e lixo.
Também são encontrados em saídas de esgoto, ralos e caixas de gordura da pia das casas. Como se alimentam principalmente de baratas, é importante combater o aparecimento delas, que são atrativos para os escorpiões.
Em geral, o animal ferroa as pessoas nas mãos ou nos pés. Embora a picada provoque dor intensa, a recuperação em adultos costuma ser fácil. Porém, crianças podem apresentar manifestações graves, como náuseas e vômitos, alteração da pressão sanguínea, agitação e falta de ar.
Dicas para evitar acidentes
- Verifique cuidadosamente calçados, roupas, toalhas e roupas de cama antes de usá-los;
- Evite lençóis que toquem o chão;
- Limpe periodicamente ralos de banheiro, cozinha e caixas de gordura;
- Mantenha camas e berços afastados, no mínimo, 10 cm da parede;
- Feche frestas em paredes, móveis e rodapés para que não sirvam de esconderijo aos escorpiões;
- Não acumule lixo, entulho ou resto de obra nos quintais e jardins;
- Coloque o lixo em sacos plásticos fechados para evitar baratas e outros insetos;
- Mude periodicamente de lugar materiais de construção sem uso e lembre-se de proteger as mãos com luvas;
- Evite queimar terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões e outros animais;
- Inseticidas e outros produtos não são eficazes contra escorpiões e podem gerar mais risco de acidente;
- É importante preservar os predadores naturais dos escorpiões, como corujas, macacos, sapos, galinhas e gansos.
Serpentes
Foram os animais peçonhentos responsáveis pelo maior número de mortes no ano passado: 106 no total. A maior parte dos acidentes (80%) ocorre por picadas nos pés e nas pernas. "Se essas partes do corpo estiverem protegidas com botas e perneiras rígidas, durante a atividade rural ou jardinagem, a chance de acidente cai para 20%", explica Daniel Sifuentes.
Para evitar acidentes, é importante não acumular entulhos, lixo orgânico e materiais de construção e limpar terrenos baldios pelo menos na faixa de 1 a 2 metros junto ao muro ou cercas perto de casa.
O principal alimento das serpentes são os roedores, que vivem próximo ao homem em busca de alimento fácil. "Ao eliminar a fonte de alimento das serpentes, principalmente os ratos, você afasta grande parte dos acidentes em casa", explica o coordenador.
O soro antiofídico é o único tratamento eficaz em caso de envenenamento por serpentes. Quando indicado, deve ser dado ao paciente em unidades de saúde, sob supervisão médica.
Além disso, é preciso conhecer os efeitos clínicos dos venenos para indicar o tipo correto e a quantidade de soro adequada a cada caso. "Não perca tempo passando álcool ou outra substância, pois não vão neutralizar o veneno. Lave rapidamente o local da picada com água e sabão e procure imediatamente a unidade de saúde mais próxima".
Diferentes sintomas
As reações do organismo humano variam de acordo com o tipo de serpente. Por isso, no caso dos profissionais de saúde, é importante ficar atento aos diferentes sinais e sintomas. Nos acidentes com jararaca, por exemplo, o local da picada apresenta dor e inchaço, às vezes com manchas arroxeadas e sangramento pelos pontos da picada, além de sangramentos em gengivas, pele e urina.
Na picada de cascavel, o local não apresenta lesão evidente, apenas uma sensação de formigamento, mas o paciente tem dificuldade de manter os olhos abertos, com aspecto sonolento, visão turva ou dupla, dores musculares e urina escura.
Aranhas
Muitas espécies de aranhas vivem próximo e até mesmo dentro de casa, favorecendo a ocorrência de acidentes. Em 2009, foram registrados 24.153 picadas e 22 óbitos. Os sintomas apresentados variam conforme a espécie.
A picada da aranha-armadeira causa dor imediata e intensa, com poucos sinais visíveis. No caso da aranha marrom, a picada é pouco dolorosa e costuma surgir uma lesão endurecida e escura, podendo evoluir para uma ferida com necrose, de difícil cicatrização. O acidente por viúva-negra apresenta dor pungente no local, contrações musculares, suor generalizado e alterações na pressão e nos batimentos cardíacos.
Primeiros socorros
- Lave o local da picada com água e sabão;
- Não faça torniquete ou garrote, não fure, não corte, não queime, não esprema, não faça sucção nem aplique substâncias no local da ferida para não causar infecções;
- Não dê aguardente, querosene ou fumo à vítima, como é costume em algumas regiões;
- Leve a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo para que possa receber o tratamento adequado;
- Dependendo dos sintomas, algumas medidas podem aliviar a dor, como compressas mornas (acidentes por aranha-armadeira e viúva-negra) até o atendimento ao médico.
Como evitar
Bata colchões antes de usá-los e sacuda cuidadosamente roupas, sapatos, toalhas e lençóis. Limpe o interior e arredores da casa usando luvas, botas e calças compridas. Nunca coloque as mãos em buracos ou frestas.
Lagartas
Em 2009, ocorreram 4.089 acidentes com lagartas e 5 pessoas morreram. Embora existam diferentes espécies na natureza, as do gênero Lonomia são as que têm maior relevância para a saúde pública, pois podem ocasionar acidentes graves e até óbitos, pela inoculação do veneno no organismo, o que se dá por meio do contato das cerdas do animal com a pele humana. São as chamadas lagartas "espinhudas".
Os acidentes graves com esse tipo de lagarta ocorrem quando o indivíduo toca o animal, por exemplo, ao encostar em troncos de árvores. A dor, na maioria dos casos, é violenta, irradiando-se do local da 'queimadura' para outras regiões do corpo.
No caso da Lonomia, algumas vezes aparecem complicações, como sangramento na gengiva e aparecimento de sangue na urina. O acidente pode levar, ainda, à insuficiência renal e necrose da pele. Nos casos de suspeita de acidente com Lonomia, o paciente deve ser levado ao serviço de saúde mais próximo para avaliar a necessidade de tomar soro.
Como evitar
Ao colher frutas, praticar jardinagem ou durante qualquer outra atividade em ambientes silvestres, observar com cuidado as superfícies antes de encostar nelas. Observar, também, troncos, folhas e gravetos antes de manuseá-los, sempre usando luvas.
Continue Reading...

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Água um bem precioso e cada vez mais raro! Entre nesta campanha.Não Desperdice...

 "A água pode existir sem os seres humanos, mas nós só conseguimos sobreviver sem água por poucos dias.”

Você sabia que o      Dia Mundial da Água - 22 de março - foi instituído em 1992, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (Eco 92), que aconteceu no Rio de Janeiro?
Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). 
E como sabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.
  Se cada um fizer a sua parte as pessoas vão se concientizando e passam a preserver esse bem tão precioso que é a ÁGUA
A água é um bem precioso
A verdade é que estamos de tal forma habituados à água que nos esquecemos do quanto é rara e invulgar. É uma substância que pode:
  • Ser utilizada para beber, lavar, cozinhar os alimentos, regar as plantas, produzir energia;
  • Apresentar-se sob a forma liquida, gasosa (quando é vapor de água) e sólida (quando é gelo);
  • No estado liquido apresenta-se incolor, transparente em camada fina, tomando uma coloração verde-azulado em maior espessura, inodora e sem sabor.
A água é uma maravilha da terra. Mais de 70% do nosso planeta está coberta de água, todavia, 97% dessa água é salgada (mares e oceanos); apenas 3% é doce e dela dependemos para as nossas necessidades. É, portanto, índispensável, preservar a água.
Como podemos poupar a nossa água
Verifique se há perdas de água na sua casa, pode sabê-lo através do contador da água. Feche todas as torneiras e tome note dos números que o contador marca. Passado alguns minutos verifique se está a marcar um número mais alto do que aquele de que tomou nota. Isso significa que existe algures na sua casa uma fuga de água:
  • Pode ser uma torneira a verter água - estar a pingar;
  • Pode estar mal fechada ou avariada;
  • Pode ser também na sanita que perde água. Provavelmente é o autoclismo que deixa verter água. 

As 10 maneiras mais fáceis de poupar água:
1 - Chuveiro:
Se fechar a torneira enquanto se ensaboa e diminuir o tempo do duche para 5 minutos diminui o consumo para cerca de 80 litros. Um chuveiro com sistema redutor de caudal pode economizar 80 por cento.
2 - Banheira:
Uma forma de economizar é encher até metade ou menos de metade, mantendo a água do banho. Opte por duches rápidos, em vez de banho de imersão. O banho de imersão gasta 260 litros de água, ao passo que um duche rápido consome apenas 25 litros.
3 - Lavatório da casa de banho:
Lavar os dentes mantendo a torneira fechada e utilizando um copo reduz o desperdício de água. Colocar uma tampa no lavatório ao fazer a barba, mantendo a torneira fechada e conservando a mesma água implica um gasto de apenas 2 litros. Feche igualmente a torneira enquanto está a ensaboar as mãos.
4 - Autoclismo:
Se colocar uma garrafa de 1,5 litros dentro do depósito, a capacidade do mesmo diminui, reduzindo o consumo de água para 8,5 litros por descarga. Outra solução é optar por um autoclismo de duplo depósito.
5 - Lava-Louça:
Deixe os talhetes e pratos de molho na pia antes de os lavar. Não deixe a torneira aberta enquanto os ensaboa. Estará a a economizar qualquer coisa como 100 litros de água.
6 - Máquina de Lavar Louça:
Só deve ser utilizada quando estiver completamente cheia. Junte louça de várias refeições, se necessário.
7 - Tanque:
Deixe as roupas de molho e use a mesma água para lavar e ensaboar.
8 - Máquina de Lavar Roupa:
Convêm enchê-la bem. No caso de não haver roupa suficiente, deve ser utilizado o programa "meia carga", que será igualmente suficiente para garantir uma lavagem eficaz.
9 - Mangueira:
Para a lavagem do carro utilize de preferência baldes de água e esponja, em vez de utilizar a mangueira. Se usar mangueira, evite passar horas com a mesma a correr. Regue o jardim ao fim do dia ou durante a noite.
10 - Piscina:
Se aplicar uma cobertura na piscina reduz a perda de água por evaporação em cerca de 90 por cento.

 O primeiro passo para usar a água com inteligência, reduzindo o consumo e a reutilizando com criatividade é saber hoje como gastamos a nossa tão preciosa água em casa. Veja o destino residencial da água no Brasil (cerca de 200 litros diários):
  • 27% consumo (cozinhar, beber água);
  • 25% higiene (banho, escovar os dentes);
  • 12% lavagem de roupa;
  • 3% outros (lavagem de carro);
  • 33% descarga de banheiro.
Isso que mostra reusando as águas resultantes de lavagens e banho para descarga, pode-se economizar 1/3 de todo o consumo residencial de água nas casas dos brasileiros.
O corpo humano consiste em cerca de 75% de água, o nosso cérebro em cerca de 85%. Cada célula do corpo depende de água para o seu bom funcionamento. Uma série de disfunções são causadas por insuficiência de água ou por água contaminada com poluentes.

2-3% da água no Planeta é água doce. A maioria desta fracção existe como gelo nos pólos ou é inacessível por outras razões. Só 0,2% da água do planeta é potável! Esta água é vitalizada e purificada através dos ciclos da água na atmosfera, em solos saudáveis e nas camadas de rocha profunda.
Não só deve ter atenção à qualidade da água que consome mas também se bebe água suficiente! 75% das pessoas estão crónicamente desidratadas. 37% de nós tem o mecanismo da sede enfraquecido que muitas vezes é confundido com fome.

Outros factos:
• Mesmo uma fraca desidratação torna o metabolismo mais lento em 3%.
• A falta de água é a primeira razão para fadiga durante o dia.
• Estudos indicam que 8-10 copos de água por dia podem amainar significativamente dores de costas e articulações em 80% dos doentes
• Mesmo uma pequena queda de 2% no teor de água do corpo pode provocar deficiências na memória curta, problemas com operações simples de matemática e dificuldades de concentração.

Segundo estudos científicos beber 5 copos de água vitalizada por dia diminuí o risco de:
Cancro do cólon em 45%
Cancro da mama em 79%
Cancro da bexiga em 50% Em todo o mundo, domina uma cultura de desperdício de água, pois ainda se acredita que ela é um recurso natural ilimitado. Mas não é! Milhares de pessoas no mundo inteiro já sofrem com a escassez da água, e este número tende a crescer, se cada um não fizer a sua parte.
De acordo com a ONU, o uso da água triplicou de 1950 para cá. Para o futuro, estima-se que nos próximos 20 anos o homem vai usar 40% a mais de água do que usa agora. O que pouca gente se dá conta é de que os problemas relacionados à água estão mais ligados ao seu mau uso do que propriamente da escassez natural.


PLANETA ÁGUA
Água que brota do solo,
Que chora! Implora inocente!
Quer saciar nossa sede!
Ainda tem pena da gente!
Nasce pura com suave textura…
Dos rios, dos lagos, dos mares…
Faz redemoinhos e segue solta!
Encrespa os mares e serve os lares.
Surge e segue além das fronteiras…
Se doa aos filhos dos filhos…
e serve os filhos da gente.
canta com as cachoeiras e encanta!
Água que cobre a superfície da terra,
desce cantarolando pela serra,
Com seus recursos abundantes,
Atiçando a mente dos estudantes.
Planeta que resiste às explosões,
e brota de um único fio de esperança,
que luta pela criança…
Sobrevive de emoções.
Água doce, salgada e sagrada!
Escolhida, bendita e bem acolhida.
Lava a nossa vida e a nossa alma.
Que seja sempre planeta água!
Que assim seja! Nosso Planeta!
 Silvia Cristina Martins Trevisani

 Poetisa Paulista



Fontes : Ora Bolas/O Piu/Vila Real Santo Antonio/Natura
Continue Reading...

Declarção dos direitos dos animais!

Declaração Universal dos Direitos dos Animais

A Unesco é uma agência especializada da ONU (Organização das Nações Unidas), e foi fundada em 16 de novembro de 1945. Sua sigla significa Organização das Nações Unidas para a Educação a Ciência e a Cultura).

Conforme o site da organização - http://www.unesco.org.br/ - seu papel é funcionar como um laboratório de idéias e como uma agência de padronização para formar acordos universais nos assuntos éticos emergentes.

A Declaração Universal dos Direitos dos Animais foi proclamada pela UNESCO em sessão realizada em Bruxelas, na Bélgica, no dia 27 de Janeiro de 1978. Aqui vai o seu conteúdo:

"Preâmbulo:

Considerando que todo o animal possui direitos;

Considerando que o desconhecimento e o desprezo desses direitos têm levado e continuam a levar o homem a cometer crimes contra os animais e contra a natureza;

Considerando que o reconhecimento pela espécie humana do direito à existência das outras espécies animais constitui o fundamento da coexistência das outras espécies no mundo;

Considerando que os genocídios são perpetrados pelo homem e há o perigo de continuar a perpetrar outros;

Considerando que o respeito dos homens pelos animais está ligado ao respeito dos homens pelo seu semelhante;

Considerando que a educação deve ensinar desde a infância a observar, a compreender, a respeitar e a amar os animais,
Proclama-se o seguinte:

Artigo 1º - Todos os animais nascem iguais perante a vida e têm os mesmos direitos à existência.

Artigo 2º
1.Todo o animal tem o direito a ser respeitado.
2.O homem, como espécie animal, não pode exterminar os outros animais ou explorá-los violando esse direito; tem o dever de pôr os seus conhecimentos ao serviço dos animais
3.Todo o animal tem o direito à atenção, aos cuidados e à proteção do homem.

Artigo 3º
1.Nenhum animal será submetido nem a maus tratos nem a atos cruéis.
2.Se for necessário matar um animal, ele deve de ser morto instantaneamente, sem dor e de modo a não provocar-lhe angústia.

Artigo 4º
1.Todo o animal pertencente a uma espécie selvagem tem o direito de viver livre no seu próprio ambiente natural, terrestre, aéreo ou aquático e tem o direito de se reproduzir.
2.toda a privação de liberdade, mesmo que tenha fins educativos, é contrária a este direito.

Artigo 5º
1.Todo o animal pertencente a uma espécie que viva tradicionalmente no meio ambiente do homem tem o direito de viver e de crescer ao ritmo e nas condições de vida e de liberdade que são próprias da sua espécie.
2.Toda a modificação deste ritmo ou destas condições que forem impostas pelo homem com fins mercantis é contrária a este direito.

Artigo 6º
1.Todo o animal que o homem escolheu para seu companheiro tem direito a uma duração de vida conforme a sua longevidade natural.
2.O abandono de um animal é um ato cruel e degradante.

Artigo 7º Todo o animal de trabalho tem direito a uma limitação razoável de duração e de intensidade de trabalho, a uma alimentação reparadora e ao repouso.

Artigo 8º
1.A experimentação animal que implique sofrimento físico ou psicológico é incompatível com os direitos do animal, quer se trate de uma experiência médica, científica, comercial ou qualquer que seja a forma de experimentação.
2.As técnicas de substituição devem de ser utilizadas e desenvolvidas.

Artigo 9º - Quando o animal é criado para alimentação, ele deve de ser alimentado, alojado, transportado e morto sem que disso resulte para ele nem ansiedade nem dor.

Artigo 10º
1.Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem.
2.As exibições de animais e os espetáculos que utilizem animais são incompatíveis com a dignidade do animal.

Artigo 11º - Todo o ato que implique a morte de um animal sem necessidade é um biocídio, isto é um crime contra a vida.

Artigo 12º
1.Todo o ato que implique a morte de grande um número de animais selvagens é um genocídio, isto é, um crime contra a espécie.
2.A poluição e a destruição do ambiente natural conduzem ao genocídio.

Artigo 13º
1.O animal morto deve de ser tratado com respeito.
2.As cenas de violência de que os animais são vítimas devem de ser interditas no cinema e na televisão, salvo se elas tiverem por fim demonstrar um atentado aos direitos do animal.

Artigo 14º
1.Os organismos de proteção e de salvaguarda dos animais devem estar representados a nível governamental.
2.Os direitos do animal devem ser defendidos pela lei como os direitos do homem."
Continue Reading...

Vamos indicar alguns Blogs que costumamos acessar para informações...

 É muita coisa boa na net...Alguns blogs são fantáticos vejam algumas dicas!

3 Dicas esta semana....

                                                                     Smart Kids




Só pra ficar com a curiosidade aguçada...Aqui vai um pouquinho do que te espera!
Esta vem do Blog Paz aos animais.

Empresas lançam mão de mascotes para descontrair o ambiente 

Por Edison Veiga


O boxer Maktub e a jabuti Luana: circulação livre em agência de publicidade


Todos os dias, por volta das 9 da manhã, Maktub fica numa agitação só. O boxer sabe que, quando a publicitária Silvana Tinelli sai para o trabalho, ele vai a tiracolo. Com 7 meses de idade, o cão praticamente integra o quadro de 65 funcionários da agência novaS/B, no Jardim Paulistano. "É o terceiro boxer que convive com a gente nesses dezessete anos da empresa", conta Silvana. "Ele humaniza a agência e nos dá alegria." Maktub tem liberdade para circular e entrar nas salas e, duas vezes por semana, é adestrado por um treinador particular. Ah, sim. Ele não é o único animal que freqüenta o pedaço. Não raras vezes, os jabutis Michelangelo, Felippo, Rafaelli e Luana aparecem de mansinho no meio de reuniões. "Esses bichos fazem com que nos sintamos em casa", diz o publicitário Valmir Leite.


 

A empresária Eneida, com a golden Farah: um apelo a mais na hora das vendas


Claro que, para a convivência dar certo, o animal precisa ser saudável e comportado. Sharon, da raça labrador, "bate cartão" na Ricardo Aquino Arte e Design, loja de decoração em Pinheiros. "Ela nunca quebrou nenhuma das minhas delicadas peças", diz o designer Ricardo Aquino. O fotógrafo Alvaro Elkis, que trabalha com dois colegas num estúdio nas Perdizes, é rigoroso com seu golden retriever. "O João não mexe em nada porque sabe que, se derrubar algo, fica para fora." Para a sorte dos que não toleram animais de estimação ou, no máximo, gostam deles desde que bem longe, lá fora, amarradinhos, ainda são poucas as empresas paulistanas que liberam seus corredores para a bicharada. "Estudos comprovam que a presença de mascotes no ambiente de trabalho reduz o stress e a ansiedade dos funcionários", diz o zootecnista Alexandre Rossi, que leva dois vira-latas para o seu escritório em Pinheiros. "Os benefícios para os cães também são enormes, já que eles gostam de fazer parte de um grupo."
Continue Reading...

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Uma bela postagem....

Esta Postagem foi feita numa quarta feira dia 21 de abril de 2010

No Blog Mundo Animal.....

Quem assinou a postagem foi o Toni.....

 Salvação de animais orfãos!

 

Para lidar com essa situação trágica, grupos de preservação trabalham a fim de proteger espécies ameaçadas de extinção. Um deles é o Centro para a Vida Selvagem de Limbe, localizado no sopé do monte Camarões, na África Ocidental subsaariana. Nesse centro, os visitantes podem observar gorilas, chimpanzés, mandris e outras 13 espécies de primatas, além de diversos outros animais. Em anos recentes, o centro cuidou de aproximadamente 200 animais órfãos e sem lar, dando-lhes um lar seguro, comida e cuidados veterinários. Outra função do centro é conscientizar os muitos visitantes, que vêm de Camarões, de países vizinhos e de todo o mundo — mais de 28.300 pessoas num ano recente —, da importância de preservar a natureza.

Por falar nisso, veja o que aconteceu com o bebê gorila. Comovidas com o choro de Pitchou, pessoas preocupadas a compraram dos caçadores e a deram ao Centro para a Vida Selvagem de Limbe. Ao chegar lá, ela passou por um check-up completo na enfermaria. Além do trauma emocional, estava com tosse, desidratação, desnutrição, diarréia e lesões na pele. Por causa dos problemas na pele, ela foi chamada de Pitchou, que no dialeto local significa “manchada”. Felizmente, Pitchou reagiu bem ao tratamento e uma intervenção cirúrgica não foi necessária, o que o centro pode realizar se for preciso.
Como é de costume para os animais que chegam ao centro, Pitchou ficou os primeiros 90 dias de quarentena. Depois foi posta num cercado ao ar livre, que imita o ambiente natural da floresta, onde já havia 11 gorilas. Os membros da equipe se emocionaram ao ver os primatas mais velhos acolher a recém-chegada. Isso não é incomum e, em resultado disso, Pitchou logo se tornou parte do grupo.
Esse trabalho proporciona um contato achegado e amigável entre humanos e animais, criando um forte vínculo. Observar o que é feito no Centro para a Vida Selvagem de Limbe pode ajudar os visitantes a entender a responsabilidade moral que Deus impôs às pessoas quando instruiu o primeiro casal humano a sujeitar a Terra e os animais. — Gênesis 1:28.

Esta Outra postagem fala do Centro de Zoonóses de Aracajú

Notícias - Capital - 25/03/2010 09:30
Animais órfãos esperam por adoção no Centro de Zoonoses

Notícias - Capital - 25/03/2010 09:30
Animais órfãos esperam por adoção no Centro de Zoonoses 

O Centro de Zoonoses de Aracaju abriga cães e gatos que vivem nas ruas da cidade pelos mais diversos motivos como abandono, mudança da família ou até mesmo por estarem doentes ou velhos. Quando estes animais estão errantes, a população faz uma denúncia e a popular carrocinha vai até o local e recolhe o animal.
Quem explica é a Yara Verônica Couto de Vasconcelos, que é coordenadora do Centro de Controle a Zoonoses. A coordenadora lembra ainda que a carrocinha não faz ronda nas ruas para capturar animais, o veículo só vai ao lugar quando ocorre uma denúncia de algum morador.
Assim que estes animais chegam ao centro passam por uma triagem veterinária, onde os profissionais fazem os mais diversos tipos de exames para diagnosticar possíveis zoonoses. Os cães e gatos que chegam ao órgão em estado muito grave e estão em processo agudo de sofrimento, são encaminhados para a eutanásia, ou seja, são sacrificados para aliviar o sofrimento. Para este processo, dois veterinários atestam a gravidade da doença e chegam ao consenso que esta medida extrema deve ser tomada.
Já os animais que não possuem doenças graves que possam infectar os humanos são considerados aptos para serem doados para a população. Passam pelo centro cerca de 2500 animais por ano, em 2009 deste total somente 168 conseguiram novos lares. Atualmente o centro conta com 12 gatos nove cães que esperam na fila  para adoção.
Para adotar um animal basta o interessado telefonar e deixar o número do seu contato, especificar o tipo de bicho de estimação que gostaria de ter, ou também ir até o centro e olhar os que estão à disposição no local. Vale lembrar que os animais para adoção são todos vacinados e saudáveis, os telefones do Centro de Controle de Zoonoses são 3179-3564 ou 3179- 3565.

Vamos ajudar gente...Não importa se no Brasil ou na Africa....os animais merecem a nossa ajuda e o nosso respeito!


Fonte:Mundo Animal/Cinform
Continue Reading...

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Tarantulas


A tarântula ou caranguejeira é uma aranha da família Theraphosidae que se caracteriza por ter patas longas com duas garras na ponta, e corpo revestido de pelos. As tarântulas habitam as regiões temperadas e tropicais das Américas, Ásia, África e Oriente Médio. Enquanto estão crescendo, têm uma fase de troca de pele chamada ecdise. Apesar do tamanho e aspecto sinistro, as tarântulas não são perigosas para a espécie humana, uma vez que não produzem toxinas nocivas ao homem, por isso são eventualmente criadas como animais de estimação. Uma de suas defesas são os pêlos urticantes de suas costas e abdômen, que irritam a pele do possível predador.
Em média atingem de 15 cm a 25 cm de comprimento com as pernas estendidas, mas existem espécies que podem chegar até 30 cm, como é o caso da tarântula-gigante-comedora-de-pássaros (Theraphosa blondi) da América do Sul.

O nome pode ter-se originado na cidade de Tarento, na Itália, onde Lycosa torentula era abundante ou segundo Hecker de Torrantola, o que rasteja no chão.
FILO: Arthropoda
CLASSE:
Arachnida

ORDEM:
Araneae

FAMÍLIA: 
Lycosidae
Comprimento: até 2,5 cm. Os machos abanam os pedipalpos durante o namoro.
Distribuição geográfica:
Estão espalhadas por todo o mundo, até mesmo nas montanhas altas e no ártico.

Descrição: A família caracteriza-se pela disposição dos oito olhos em três filas, a primeira mais próxima da borda das quelíceras com quatro, a segunda com dois e a terceira com dois. São aranhas astutas, caçadoras , ágeis e capturam suas presas no pulo e matam-na com sua peçonha.

Cor:
marrom-amarelada no corpo e pernas

Onde são encontradas:
São encontradas com grande facilidade nos campos, á beira de piscinas, nos gramados dos jardins, sob os arbustos e cercas vivas ou ao lado dos muros divisórios. Gostam de expor-se ao sol da tarde e, temperatura abafada e dias nublados tornam-nas ativas. É bastante freqüente em sítios ou fazendas, mesmo nas imediações do homem.

Acidentes: A maioria dos acidentes é bastante benigna, e só em casos raros verifica-se destruição da pele em torno da picada. A ação do veneno pode ou não ser necrosante, dependendo da profundidade da picada e tecido atingido.
Sintomas: A dor é muito aguda mas passageira, aos poucos o membro ferido começa a inchar, ao mesmo tempo em que a dor volta. No dia seguinte nota-se um edema considerável com derrame sangüíneo que transparece sob a pele e no centro aparece a picada pela presença de uma crosta escura. A vítima pode sentir coceira no local da picada mas, por via de regras o estado geral é bom. No dias seguintes o edema aumenta e pode ocupar todo o membro e, algumas vezes aparecem pequenas bolhas. Pouco a pouco a crosta aumenta, um sulco de eliminação se forma e uma placa de tecido necrosado. A cura é lenta e deixa uma cicatriz indelével e freqüentemente retrátil e dolorosa. Pode ocorrer febre, náuseas, vômitos e dores de cabeça.

Tratamento: Soro antiloxoscélico
Antigamente, os europeus do sul acreditavam que uma pessoa picada por uma das espécies de tarântula européia, só sacaria se executasse uma dança frenética, a tarantela. Hoje, sabe-se que a tarântula européia não é absolutamente venenosa. Sua picada causa apenas febre na vítima.
Existem cerca de 2000 espécies de tarântulas, espalhadas por todo o mundo, até mesmo nas montanhas altas e no ártico. As tarântulas andam pelo chão, de vez em quando sobem pelas plantas, à procura de insetos. Elas não tecem teias para apanhar a presa. Quando não estão caçando, escondem-se debaixo das pedras ou tocas. A tarântula fêmea prende seu saco de ovos ao corpo com os filhos secretados pelas glândulas fiandeiras. Quando os filhotes nascem, a mãe os carrega nas costas. Se um deles cai sobe de novo pelas pernas da mãe. As tarântulas têm tato bem desenvolvido. Elas podem ser criadas como bicho de estimação, mas precisam receber água quando vivem em cativeiro.
IMPORTANTE: Toda pessoa agredida por aranhas deve ser encaminhada ao Pronto Socorro e se possível levar a aranha para identificação. Lembre-se sempre que a rapidez de atendimento em acidentes com qualquer animal Peçonhento pode significar a diferença entre a vida e a morte. A auto medicação pode ser fatal e não deve ser realizada. Procure sempre um médico e o pronto socorro mais próximo.
 

Existem vários tipos de tarântulas que se distinguem não só pela sua aparência como pelo seu comportamento perante o homem e os outros animais. Por natureza as tarântulas são um animal selvagem que não gosta muito de ser manuseado, no entanto existem algumas destas aranhas mais fáceis de pegar e que aconselhámos para os mais inexperientes (p.ex. a Grammastola rosea ou a Aphonopelma chalcodes). Nunca se esqueça que embora mais "amigáveis", no caso de se sentirem ameaçadas não irão hesitar em ferrar! As tarântulas terrestre podem durar em média aproximadamente vinte anos enquanto as suas parentes das árvores e florestas húmidas não ultrapassam em média os oito anos.

Terrário 

As tarântulas não precisam de muito espaço pelo que um terrário normal será suficiente. O fundo deverá ser uma mistura de barro e vermiculite com cerca de 4 cm de altura permitindo deste modo que a aranha escave. Tenha sempre um recipiente com água fresca e dependendo da espécie pulverize duas ou três vezes por semana a tarântula com água.

Cada tarântula tem um nível médio de humidade e de temperatura. No caso da Rosa Chilena, Grammostola rosea, a temperatura do seu ambiente é entre 20º e os 27º e a humidade é de 70% mas esta tarântula também se adapta a temperaturas ou humidade ligeiramente inferiores e superiores.

No que toca a decoração deve primeiro verificar se a sua tarântula é terrestre ou arborícula. Neste último caso, providencie uma estrutura com ramos ao longo do terrário de modo que esta possa trepar e construir a sua teia. Coloque também algum tipo de esconderijo em barro cozido que poderá adquirir nas lojas de animais de estimação.
Não existem regras específicas para alimentar as tarântulas, basta dar três ou quatro pequenos insectos como grilo por semana e o seu crescimento será bastante saudável. Estes insectos podem facilmente ser criados em casa sem grande trabalho. Precisam apenas de um caixa ventilada com algumas formas de esconderijo, ramos para treparem e de alimentação que varia principalmente entre cenouras, batatas e maçãs. Existem também misturas para grilos à venda nas lojas de animais de estimação. Em idade adulta as tarântulas tornam-se carnívoras.
Nunca mantenha os grilos juntamente com a tarântula pois isso pode causar a sua morte. Após colocar um grilo no terrário, se ao final de 24horas a tarântula não o tiver morto e comido retire-o. Não force a sua aranha a comer em demasiado, na verdade, possuem um metabolismo muito próprio pelo que não precisam de comer muitas vezes. 

Ciclo de vida

 

As tarântulas têm um ciclo de vida longo e levam de 2 a 5 anos para atingir a maturidade sexual. Os machos morrem normalmente após o acasalamento, alcançando 5 a 7 anos de vida. Antes de se tornarem adultas, as tarântulas têm de comer diariamente, exceto no período de sua troca de pele, quando há um jejum de, em média, dez dias antes e de sete dias depois. Quando já são adultas podem passar por longos períodos sem comer. Foram registrados casos de longevidade de fêmeas em cativeiro com até 25 anos.
As tarântulas não precisam de cuidados médicos especiais. No entanto podem ocorrer alguns acidentes para os quais terá que estar atento e actuar imediatamente. Outro problema que pode acontecer é magoar o abdómen devido a uma queda por exemplo. Se o dano for pequeno pode ser tratado tapando-o com super cola (esta sairá na próxima muda de pele). Se o dano for grande poderá ser fatal para a sua tarântula. Uma outra situação que poderá acontecer é a sua tarântula estar na posição de morta (pernas para cima e fechadas em si mesma). Nestes casos ela poderá estar apenas desidratada pelo deverá colocá-la num recipiente com água.
Em todos estes casos recomendamos que recorra sempre a um médico veterinário especialista nesta espécie animal.

Hábitos

As tarântulas são animais solitários e noctívagos. Alimentam-se de pequenos animais, que nas espécies maiores podem incluir pequenos pássaros, roedores ou anfíbios. Todas as espécies de tarântulas apresentam canibalismo.

 Toca

A maioria das Tarântulas não se afasta de sua toca, nem mesmo para se alimentar, pois sentem a presença das presas pela vibração do solo. O macho normalmente é quem faz as viagens mais longas para buscar as fêmeas.
As tocas são normalmente subterrâneas, geralmente aproveitadas de outras aranhas ou roedores. São forradas com sua teia formando uma seda, o que arrefece o esconderijo. Geralmente ficam próximas a raízes de árvores e pedras, e podem chegar até 1 metro de profundidade.
Existem espécies que também são arbóreas — não necessitam ir ao solo durante toda sua vida, e fazem tocas em buracos nas árvores.

Reprodução

O acasalamento das tarântulas é como o da maioria das aranhas. Uma diferença é que o macho tem ganchos para prender as presas das fêmeas no ato sexual. Os machos têm seus pedipalpos modificados para a cópula. Normalmente o macho foge logo após o ato, antes que a fêmea recubra seu apetite, e morre poucos meses depois, devido a seu curto ciclo de vida. A fêmea armazena o esperma vivo num órgão especial, até chegar a época de botar os ovos.
As fêmeas depositam entre 50 a 200 ovos num saco de seda que incubam por cerca de 6 semanas. Os ovos são bem grandes, e o saco pode chegar a ficar do tamanho de um limão. Os filhotes já nascem com um bom tamanho. Após o nascimento as pequenas tarântulas não recebem cuidados parentais, ficam pouco tempo na toca e logo depois se dispersam.
Tarântula

 Curiosidades

 Aspecto

Pelo seu aspecto, a tarântula ficou famosa popularmente pela literatura e pela televisão, mas não são perigosas para o homem.

 Cativeiro

A criação de tarântulas em cativeiro tem várias vantagens: é necessário alimentá-las apenas de uma a três vezes por semana, elas não emitem odores, não fazem sujeira ou barulho, não transmitem doenças, e algumas espécies não são agressivas, embora algumas espécies africanas maiores e a comedora-de-pássaros possam ser bastante agressivas, principalmente pelo seu tamanho. Sua picada, entretanto, é bastante dolorosa devido ao tamanho de suas quelíceras. Não é recomendável criar mais de uma aranha no mesmo local, pois as tarântulas são canibais.

 Ecdise

A maioria das espécies de aranhas não fazem ecdise depois do estágio adulto, mas as tarântulas fêmeas o fazem ao longo de toda vida. Dessa forma, elas conseguem regenerar membros perdidos ou danificados.

 Culinária

As tarântulas são consideradas um Cudicinni Salgado com suco de mamão Batido com cascas de banana ao leite aguado.Tambem pode ser usada para uma comida chamada Cuvinnir Mazira Ruives.

 Preservação

A tarântula é espécie ameaçada devido principalmente à destruição do seu habitat, e a caça para criação como animal de estimação. Em contrapartida, é uma das aranhas mais criadas em cativeiro.

Fonte:Wipédia/Arca de Noe/Saude Animal
Continue Reading...
 

Blogroll

Desmatamento leva a extinção de espécies.

Desmatar leva à destruição dos ecossistemas e à extinção das espécies que neles vivem. A Ciência identificou até hoje cerca de 1,4 milhões de espécies biológicas. Desconfia-se que devam existir mais de 30 milhões, ainda por identificar, a maior parte delas em regiões como as florestas tropicais úmidas. Calcula-se que desaparecem 100 espécies, a cada dia, por causa do desmatamento! http://www.poupetempo.com.br Este site trás informações para se adotar um animal.

O Reino dos Bichos Copyright © 2009 WoodMag is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template